1. Usuário
Assine o Estadão
assine
Futebol Internacional

Conte nega que Balotelli fora da seleção italiana seja 'recado'

Estadão Conteúdo

01 Setembro 2014 | 11h 53

Treinador justifica ausência pelas recentes apresentações e insinua mudança de comportamento tático da Azurra com dois atacantes

O técnico da seleção da Itália, Antonio Conte, negou que a decisão de deixar Mario Balotelli fora da convocação tenha sido com a intenção de mandar um recado ao polêmico jogador. Balotelli, que recentemente foi contratado pelo Liverpool junto ao Milan, não foi incluído na lista de 27 nomes chamados no último sábado para um amistoso contra a Holanda e um duelo com a Noruega pelas Eliminatórias para a Eurocopa de 2016.

"Temos acompanhado todos os jogos. As convocações são baseadas nessas observações", disse Conte. "Eu não tenho que enviar uma mensagem para qualquer um. Aqueles que me conhecem sabem muito bem como eu me comporto e como eu sou", completou o treinador, evitando realizar comentários diretamente sobre Balotelli.

"Eu também disse aos jogadores que hoje existe este grupo e que, enquanto eles merecerem estar na seleção nacional para vestir a camisa da Azzurra (apelido da seleção da Itália), eles vão permanecer, mas isso não significa que quem está lá hoje vai estar lá amanhã e vice-versa. O que é importante é que aqueles que estão na seleção precisam saber como se comportar e como se manter na equipe".

Olly Greenwood/AFP
Balotelli estreou por seu novo clube, o Liverpool, neste fim de semana

Balotelli está suspenso da partida classificatória por ter recebido dois cartões amarelos na Copa do Mundo. Porém, o meio-campista Claudio Marchisio, da Juventus, também cumprirá gancho no confronto com os noruegueses, mas mesmo assim foi chamado neste sábado.

O jogador teve uma Copa do Mundo decepcionante, assim como a seleção da Itália, que caiu na fase de grupos, o que provocou a saída de Cesare Prandelli do comando da seleção. Ciro Immobile foi o único atacante selecionado que foi para a Copa do Mundo deste ano. E Conte surpreendeu ao chamar Simone Zaza, de 23 anos, do Sassuolo. Foi a primeira vez que ele foi convocado para a seleção.

"Eu chamei atacantes que têm certas características que se encaixam no meu estilo de jogar", disse Conte. "Na Copa do Mundo, a Itália jogou com apenas um atacante, enquanto o meu time joga com dois".

Conte acredita que o número de jogadores estrangeiros na Itália está tendo um efeito negativo sobre a seleção. "Aconteceu de eu pegar alguns jogos e, infelizmente, alguns clubes não têm um italiano em campo, ou apenas um ou dois. Isto certamente não torna minha tarefa mais fácil", afirmou.

Futebol Internacional

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo