1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Copa 2014

Assessor da CBF aceita pena por briga e garante mostrar verdade

LEANDRO SILVEIRA - Agência Estado

30 Junho 2014 | 17h 34

Rodrigo Paiva é acusado de dar um soco em jogador do Chile

O diretor de comunicação da CBF, Rodrigo Paiva, se manifestou nesta segunda-feira sobre a decisão do Comitê Disciplinar da Fifa de suspendê-lo por um jogo após confusão no intervalo da partida contra o Chile, vencida pela seleção brasileira por 3 a 2 nos pênaltis, após empate por 1 a 1, no estádio do Mineirão, em Belo Horizonte, no último sábado. O também assessor de imprensa da seleção declarou aceitar a decisão da entidade e garantiu que a verdade será comprovada.

"Respeito, como sempre respeitei, as decisões da Fifa. O caso está sendo investigado pelo Comitê Disciplinar da entidade e o mesmo já tem à sua disposição provas da conduta reprovável por parte de membros da delegação chilena e que trarão luz à verdade dos fatos", disse Rodrigo Paiva, em nota oficial nesta segunda.

No último sábado, no intervalo da partida entre Brasil e Chile, pelas oitavas de final da Copa, uma confusão começou dentro de campo, quando o árbitro inglês Howard Webb apitou o final do primeiro tempo. Fred e Medel se desentenderam e o caso acabou ganhando proporções maiores no caminho para o vestiário.

Andre Penner/AP
Rodrigo Paiva teria se envolvido em confusão com chilenos após classificação do Brasil

Jogadores chilenos acusaram Rodrigo Paiva de ter acertado um soco em Pinilla. O diretor de comunicação da CBF alega que apenas se defendeu, empurrando o atacante. Nesta segunda, a Fifa anunciou a suspensão do assessor por um jogo. O caso, porém, ainda está sendo investigado pela entidade, que pode anunciar outras punições.

A CBF tem até 19 horas desta terça para apresentar a sua defesa. Com essa punição, Rodrigo Paiva não pode trabalhar nesta sexta na Arena Castelão, em Fortaleza, onde o Brasil vai enfrentar a Colômbia pelas quartas de final da Copa do Mundo. Mas ele espera, segundo a nota oficial divulgada no site da confederação, que as provas irão dar "luz à verdade dos fatos".

Copa 2014