1. Usuário
Assine o Estadão
assine
Copa 2014

Chegou a hora, vamos todos juntos, é o nosso Mundial, vibra Felipão

O Estado de S. Paulo

11 Junho 2014 | 16h 41

Ao lado de Neymar, o técnico da seleção brasileira elogia o grupo e se mostra satisfeito com a evolução durante os treinos na Granja

Não é só Neymar que demostra ansiedade. Em sua segunda Copa do Mundo à frente da seleção brasileira, o técnico Luis Felipe Scolari deu uma entrevista coletiva na Arena Corinthians, onde os jogadores fazem treino de reconhecimento de gramado, nesta quarta-feira, mas mostrou tranquilidade acima de tudo, além de foco na estreia diante da Croácia, nesta quinta, às 17h.

"Chegou a hora, vamos todos juntos. É o nosso mundial", começou Felipão, com um grande sorriso. "Eu já disse e, se vocês perguntarem lá em casa vão dizer o mesmo: eu durmo bem. Se o time ganhar, eu vou dormir bem. Se eu tivesse o Neymar do outro lado, claro que alguns pensamentos durante a noite poderiam acontecer. Mas está tudo bem arquitetado".

Alex Silva/Estadão
Felipão garante que não se arrepende do planejamento para a Copa

Com uma programação sólida, a seleção brasileira se apresentou para começar os treinamentos para a Copa no dia 26 de maio. Neste meio tempo, enfrentou o Panamá e venceu por 4 a 0, e ainda fez um amistoso com a Sérvia, em São Paulo, levando a melhor com um magro placar de 1 a 0.

Alguns jogadores foram contestados na lista dos 23 convocados e outros até como titulares, mas, para Felipão, tudo está em perfeita ordem, não há arrependimentos e a evolução do grupo é nítida.

"Eu acho que se eu fosse escolher e montar uma estratégia de trabalho, montaria tudo da mesma forma. Nós evoluímos bastante. A cada amistoso nós fomos crescendo um pouquinho, nós realizamos treinamentos, estão todos em condições de jogo, então, de tudo aquilo, seguimos à risca e foi ótimo. Acho que evoluímos maravilhosamente bem", celebrou o técnico brasileiro.

Ao lado de Neymar, que afirmou que não quer ser craque ou artilheiro, mas sim campeão do mundo, Felipão falou sobre suas expectativas em relação ao camisa 10: "Eu espero que o Neymar seja mais um. Conhecendo como o conheço, sei que ele está passando essa mensagem para vocês de coração. Mas, ele sendo o que é, sendo o craque que é, vai continuar fazendo a diferença, mesmo sendo mais um".

A pressão para que a taça do Mundial fique no país anfitrião é grande, mas, mesmo assim, Scolari não quer pensar em outra coisa que não a estreia, diante da Croácia.

"Eu penso no jogo de amanhã. Não podemos saltar degraus, portanto, a ideia que eu passo para eles é de que o primeiro degrau é amanhã (quinta-feira), contra a Croácia. Depois nós temos mais seis degraus para chegar à taça", concluiu.

Copa 2014

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo