Assine o Estadão
assine

Copa do Mundo

Copa 2014

Fred sai de campo hostilizado pela torcida brasileira no Mineirão

Com o apoio da comissão técnica, o atacante tinha tudo para se destacar na Copa, mas se tornou o mais vaiado pelos torcedores

0

Robson Morelli - enviado especial a Belo Horizonte,
O Estado de S. Paulo

08 Julho 2014 | 22h41

Fred foi o grande derrotado da campanha do Brasil na Copa organizada em casa. Era um dos poucos jogadores do time de Felipão a atuar no País, pelo Fluminense. Tinha tudo para se destacar porque também foi um dos primeiros nomes bancados pelo treinador, sem sombras no banco (o reserva era Jô) e com total confiança de todos na comissão técnica. Mas deu tudo errado para o atacante. Fred deixou o Mineirão, onde brilhou por anos no Cruzeiro, mineiro que é, debaixo de sonoras vaias. Foi o mais hostilizado pela torcida.

"É uma decepção total, porque com certeza é a pior derrota da carreira de todos os jogadores que vivenciaram esse momento de muita tristeza. Fizemos o pior jogo da nossa vida e a Alemanha fez a melhor partida da vida dela", disse o atacante, repetindo Felipão em sua entrevista. "É um momento de muita tristeza e decepção para o brasileiro. Temos de nos apegar às pessoas que nos querem bem, que vão nos ajudar nesse momento duro que vamos passar e carregar, talvez, para sempre."

Fred teve todas as chances do mundo para fazer dessa Copa a sua Copa. Além da confiança de Felipão, sempre esteve ao lado de Parreira, que o mimava a cada treino, passando-lhe apoio e informações. "É uma cicatriz que vai ficar marcada durante toda a nossa vida, mas vamos ter de buscar força maior, de Deus mesmo, para passar por essas adversidades."

Nem mesmo a estrondosa vaia que recebeu, sobretudo no segundo tempo, quando o torcedor perdeu de vez a paciência com seu futebol, pequeno para um jogador de tanta história, fez Fred perder a confiança. Disse ter encarado com naturalidade os urros toda vez que pegava na bola. Não entendeu o recado vindo da torcida em sua casa. "Isso aí nem me influencia muito. O que me machuca de fato é o resultado, a derrota, e da forma com que aconteceu. A questão da vaia, não me importa. Sei que tem atleticanos no estádio. E também torcedores que acabam pegando no pé de um ou dois jogadores para vaiar."

O camisa 9 do Brasil entrou no Mineirão já derrotado. Ele soube durante a semana que muitos torcedores não queriam sua permanência no time. Já havia jogado mal diante da Colômbia. Com a perda de Neymar, havia a espectativa de Felipão montar o time sem ele, dando mais mobilidade ao setor, com Willian, já que Fred não conseguia se livrar dos marcadores. Mas o treinador manteve suas convicções. Os próprios companheiros de Fred trataram de defendê-lo após o jogo das quartas, alguns até antes disso. Neymar, antes de se machucar, prometeu dar "50 bolas" para Fred marcar 50 gols. Nada disso ocorreu. Fred fracassou. "Infelizmente, nada deu certo."