1. Usuário
Assine o Estadão
assine
Copa 2014

Ginga sul-americana dos chilenos preocupa a seleção brasileira

Robson Morelli - Enviado especial a Brasília - O Estado de S. Paulo

23 Junho 2014 | 22h 30

Adversário não era o preferido de Felipão, mas Chile é freguês do Brasil em Copas: foram três confrontos, e três vitórias brasileiras

A ginga sul-americana dos chilenos é o que mais preocupa o Brasil na partida do próximo sábado, em Belo Horizonte, pela fase de oitavas de final da Copa. Não era o adversário que Felipão queria se pudesse escolher, como ele mesmo disse após a vitória sobre Camarões e antes também. Os jogadores reconheceram a boa fase do time de Alexis Sanchez no torneio, uma situação muito parecida com o que acontece com o Brasil nesse momento. “O Chile tem muita qualidade e boa movimentação, mas o Brasil está preparado para enfrentar qualquer adversário”, disse Daniel Alves.

Embora as duas equipes vivam boa fase e em evolução na competição, o Brasil sempre leva a melhor diante do vizinho. Nas três vezes em que se enfrentaram em Mundiais, a seleção nunca passou apertada: 4 a 2 na Copa de 1962, no próprio Chile, quando Garrincha ganhou quase sozinho aquele troféu porque Pelé estava machucado; 4 a 1 no Mundial de 1998, na França; e 3 a 0 em 2010, na África do Sul, com Dunga.

De modo geral, os jogadores da seleção brasileira disseram que a equipe precisa manter sua concentração para passar para as quartas e evitar ser pega de surpresa. O goleiro Julio Cesar destacou o fato de o Brasil ter recuperado nesta partida contra Camarões o espírito mostrado na Copa das Confederações, que todo torcedor queria ver. “Não podemos perder isso agora. Recuperamos essa pegada e temos de continuar com ela até a final da Copa no Maracanã, dia 13 de julho”, comentou.

Wilton Junior/Estadão
Embora as equipes vivam boa fase, Brasil sempre leva a melhor diante do vizinho

O próximo jogo terá ainda outro complicador para a seleção. O jogo no Mineirão será o primeiro da equipe de Felipão às 13h. Até então, a seleção só vinha jogando no período da tarde, às 16h e 17h, no horário habitual do futebol brasileiro. David Luiz não se preocupa com isso porque diz que os jogadores que atuam no futebol europeu estão acostumados a jogar nesse horário. De qualquer modo, toda a programação da equipe será alterada nesta semana em Teresópolis, para onde a delegação embarcou logo após a classificação. Os jogadores passarão a acordar às 9h para os treinos na Granja Comary e para a adaptação às refeições. O organismo dos atletas mudará um pouco.

Copa 2014

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo