1. Usuário
Assine o Estadão
assine
Copa 2014

Julio Cesar e trave põem seleção brasileira nas quartas de final

Robson Morelli - Enviado especial a Belo Horizonte - O Estado de S. Paulo

28 Junho 2014 | 16h 10

Após empate no tempo normal e na prorrogação contra o Chile, goleiro defende dois pênaltis e Jara erra a última cobrança

 O Brasil está vivo. A seleção sofreu e o brasileiro mais ainda, mas graças a duas defesas de pênaltis de Julio Cesar, o time eliminou o Chile e se classificou para as quartas. A vaga veio nos tiros livres, com vitória da seleção por 3 a 2, gols de David Luiz, Marcelo e Neymar. Aranguiz e Diaz fizeram os gols da seleção chilena. No tempo normal, houve empate por 1 a 1.

Entretanto, a classificação pode custar caro. Neymar deixou o campo sentindo dores após tomar uma pancada forte na coxa e preocupa a comissão técnica da seleção brasileira para a partida das quartas de final. O adversário do Brasil na próxima rodada será a Colômbia, que venceu o Uruguai por 2 a 0. O confronto entre as equipes sul-americanas acontece na próxima sexta-feira, 4, em Fortaleza, no Castelão, 17h.

O Brasil poderia ter tido melhor sorte no começo, quando conseguiu ficar com a bola e fazer as melhores jogadas. A torcida gritava o nome de David Luiz, que era dúvida por causa de uma lombalgia, mas se recuperou a tempo e foi escalado, quase que antevendo o gol que ele faria aos 17 minutos, após escanteio cobrado por Neymar e desviado por Thiago Silva.

Sergio Perez/Reuters
Julio Cesar pega dois e classifica o Brasil para as quartas de final!

Como se previa, não foi um jogo fácil, mas desta vez muito mais por culpa do Brasil, que teve atuação ruim, apesar da vontade. Alguns erros na defesa incendiavam os chilenos nas numeradas e dentro do campo. Alexis Sánchez jogou pelo lado direito, prendendo Hulk e Marcelo. De vermelho, o camisa 7 era um demônio com a bola.

Se Neymar não fosse de circo, com seu malabarismo a cada pancada, certamente poderia ter se machucado no Mineirão. Apanhou sem se intimidar. O gol de David Luiz deixou a seleção mais tranquila, embora tenha dado muito campo para os rivais. O Brasil dessa vez não trocou posições. Oscar permaneceu plantado na direita. Neymar, na esquerda. Hulk e Marcelo, auxiliados por Luiz Gustavo, fechavam a única porta de entrada do Chile. E foi por ali que Alexis Sánchez mostrou por que joga no Barcelona.

Ele empatou o jogo aos 32 minutos, esfriando a animação da torcida brasileira. Metade dos méritos dos eu gol foi de Hulk. O atacante errou passe na lateral e entregou a bola nos pés de Vargas, que encontrou o companheiro na área: 1 a 1. Que drama! O jogo que estava nas mãos do Brasil voltou a ficar tenso, duro, chato, difícil.

O juiz, colocado em xeque pelos chilenos na semana que antecedeu a partida, foi criticado por Parreira, Felipão e todos da seleção. Deixou o jogo correr, sem marcar as muitas faltas reclamadas.

No segundo tempo, o Brasil teve as melhores chances, raras, mas efetivas, ora com Neymar, ora com Hulk. O jogo, no entanto, estava nas mãos do Chile, assim como a bola nos seus pés. Aos 19, Julio Cesar salvou, com grande defesa em chute de Aranguiz. O goleiro manteve o Brasil vivo, insuficiente, porém, para evitar a prorrogação. Todos os fantasmas de 1950 voltaram a assombrar o brasileiro, como nunca antes. A seleção teve chances de marcar, mas não como o Chile, quando Pinilla acertou o travessão. A decisão foi para os pênaltis. Deu Brasil!

Copa 2014

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo