1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Copa 2014

Luiz Gustavo minimiza possível troca de parceiro no meio

Leandro Silveira - Enviado especial a Teresópolis - Agência Estado

25 Junho 2014 | 16h 49

Atleta se tornou um dos principais jogadores da equipe, enquanto Paulinho é contestado por torcedores que pedem Fernandinho

O volante Luiz Gustavo adotou nesta quarta-feira, em entrevista na Granja Comary, em Teresópolis (RJ), o discurso de que o técnico Luiz Felipe Scolari tem 23 jogadores prontos para serem acionados na seleção brasileira para garantir que não teme desfalcar a equipe na sequência da Copa do Mundo por estar "pendurado" com um cartão amarelo. Além disso, adotou o mesmo tom para evitar responder se prefere atuar ao lado de Paulinho ou de Fernandinho no meio-de-campo. 

Luiz Gustavo lembrou que o jogo com o Chile, no próximo sábado, no Mineirão, pelas oitavas de final da Copa, define o futuro da seleção na competição e, por isso, ele precisa dar tudo de si, mesmo que isso provoque uma suspensão de um eventual confronto nas quartas de final do torneio.

"Temos um jogo em que tudo pode ser decidido. Não posso pensar no próximo, só nesse jogo. Vou fazer tudo que preciso fazer, sem receio algum. Se acontecer de tomar cartão, temos 23 jogadores prontos para realizar o trabalho", disse o volante.

Andre Penner/AP
Luiz Gustavo evita responder se prefere atuar ao lado de Paulinho ou Fernandinho

Titular absoluto da seleção, Luiz Gustavo vem tendo a companhia de Paulinho no meio-de-campo desde o início da Copa. Mas isso pode mudar, pois Fernandinho entrou no intervalo da vitória do Brasil por 4 a 1, na última segunda-feira, fez um gol e teve boa atuação. Agora, pode ganhar uma chance como titular diante do Chile.

Luiz Gustavo garante, porém, que uma eventual troca não vai interferir na sua função, pois Felipão já avisou que ele é o "cão de guarda" da seleção, que dá liberdade para o segundo volante ir ao ataque.

"É difícil falar. Não muda para mim, porque o Felipão deixou claro o que devo fazer é dar liberdade para o segundo volante. Não posso inventar ou vai sobrar para mim. Tenho que fazer o que pediu. Os dois são semelhantes, não têm tantas características diferentes. É o Felipão quem decide e quem ganha é o grupo", disse Luiz Gustavo.

Diante de Camarões, porém, Luiz Gustavo até teve participação direta em um dos gols do Brasil, o primeiro, ao dar o passe para o atacante Neymar finalizar após uma roubada de bola. Ele recebeu elogios de Felipão, mas brincou que isso só aconteceu porque a jogada deu certo. "Elogiou o passe porque funcionou, se não, eu ia ouvir", brincou o volante titular da seleção.

Copa 2014