1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Copa 2014

Neymar, o camisa 10 da seleção, só tem um objetivo: 'Ser campeão'

Robson Morelli - O Estado de S. Paulo

11 Junho 2014 | 22h 30

Atacante diz que abre mão de ser artilheiro e melhor jogador da competição, que disputa pela primeira vez, para ficar com o título

Neymar escreve a partir desta quinta-feira mais um capítulo de sua história. O principal jogador da seleção brasileira, um Pelé dos tempos modernos, dá o pontapé inicial na Copa que se desenha sua, e de mais ninguém, em casa e diante de sua gente. Neymar tem ainda a missão, não sozinho, mas à frente dos demais por causa de sua qualidade, de reescrever a Copa no País 64 anos depois do fracasso de 1950. Não é pouco.

Sua ansiedade pôde ser notada na quarta-feira em alguns momentos da entrevista, a primeira da Fifa na Arena Corinthians, palco da abertura, quando roía as unhas e delineava com os dedos da mão direita o bigodinho fino e ralo de menino que é. Sorriu, brincou, falou sério, ganhou um boneco de sua imagem. Confessou que seu coração está a mil, mas também se colocou pronto para jogar o torneio que espera desde o penta, 12 anos atrás, quando cortou o cabelo ao estilo ‘Cascão’, copiando Ronaldo.

José Patrício/Estadão
Neymar está ansioso para jogar a Copa e dar o título ao Brasil

Crescido, Neymar quer ser como Messi e Cristiano Ronaldo, dois exemplos que citou para seguir e que podem se tornar estrelas deste Mundial. Certamente sabe que tem potencial para ser mais. Às vésperas da Copa, ele tem um único objetivo. 

“Não quero ser o artilheiro. Não quero ser o melhor jogador. Quero ganhar a Copa. Esse é o meu objetivo”, disse o atacante que também já tem para quem dar a camisa 10 que usará no primeiro jogo da Copa, da sua Copa. “É uma honra usar a 10 de muitos outros grandes jogadores do Brasil. Vai para uma pessoa muito especial, minha mãe. Não poderia ir para outra pessoa, embora minha família toda seja especial pra mim.” 

Não será fácil para o Brasil derrotar seus adversários. Essa é a base das palestras organizadas por Felipão para o elenco. Neymar comprou a ideia. “A gente sabe que terá de ter paciência para derrotar nossos rivais. Não vai ter jogo fácil. É Copa do Mundo. Então, estamos nos preparando para evitar ao máximo os erros, para decidir nos detalhes os resultados dos jogos e que sejamos impecáveis em campo. Que o Brasil seja a melhor equipe sempre.”

Sobre a torcida, logo depois de Felipão reconhecer o carinho que a seleção tem recebido em Teresópolis e nos lugares onde passa, Neymar destacou que a Copa só tem motivo de ser no Brasil por causa da força da arquibancada. “A torcida é hoje o principal jogador da seleção brasileira. Nem é o 12.º jogador. É o principal mesmo. A Copa é no Brasil. Esperamos muito dela. Estamos em casa e se a torcida estiver do nosso lado 100% e a partida inteira, vai ser muito difícil ganhar da gente”.

Neymar e Felipão estavam soltos, sorrindo e respondendo a todas as perguntas. Até mesmo quando não havia o que responder. Um jornalista abriu mão de sua pergunta para pedir a Neymar que fizesse ele uma pergunta para Felipão. Ambos entraram na brincadeira, após cochicho do chefe ao pé da orelha do jogador. “Professor, estava pensando mesmo nesta pergunta”, disse Neymar. “Então faça”, mandou o treinador. “Professor, eu queria saber se vou jogar na estreia? Só para eu dormir tranquilo, professor.” Felipão fez suspense, sorriu e disse que iria pensar, para em seguida afirmar que Neymar podia dormir tranquilo.

Copa 2014