1. Usuário
Assine o Estadão
assine
Copa 2014

Nova geração belga quer fazer história na Copa do Mundo

Vítor Marques - enviado especial a Belo Horizonte - O Estado de S. Paulo

16 Junho 2014 | 22h 53

'Diabos Vermelhos', que retornam a um Mundial após 12 anos, são apontados como provável surpresa e são favoritos no Grupo H

"Passado é passado, peço a esta geração que o esqueça e faça sua própria história." Marc Wilmots, treinador da Bélgica, não gosta de comparações entre sua seleção e aquela de 1986, que alcançou o honroso e inédito 4.º lugar no México. Wilmots também não gosta dos rótulos "surpresa da Copa", "sensação", "favorita" e do termo "geração de ouro".

O fato é que esses novos talentos estreiam nesta terça-feira contra a Argélia e trouxeram a Bélgica de volta à Copa depois de doze anos de ausência. Ela é formada por Courtois, do Atlético de Madrid, Kompany, do Manchester City, Hazard, do Chelsea, Witsel, do Zenit, da Rússia.

Todos eles são protagonistas em importantes clubes da Europa. A grande diferença em relação ao time de 86 é que a maioria dos grandes jogadores daquela geração (Pfaff, Ceulemans, Scifo) atuava na Bélgica. Mas comparações, certas ou não, sempre rendem boas discussões.

Técnico Marc Wilmots comanda treino tático na véspera do jogo
Técnico Marc Wilmots comanda treino tático na véspera do jogo

"Concordo que a geração atual seria uma das melhores seleções que a Bélgica já teve. Temos jogadores de qualidade, que atuam em grandes clubes. Mas temos de confirmar isso no Mundial", disse o volante Witsel, que jogou no Porto, fala português e é amigo de Hulk.

O que eles querem é repetir, na seleção, defendendo as cores de seu país, o mesmo sucesso que já obtiveram em seus clubes. Só um jogador do time, o veterano Van Buyten, de 36 anos, disputou uma Copa, além do técnico e ex-jogador Marc Wilmots. Nesta terça faz exatos 12 anos da última partida belga em Mundiais, na eliminação nas oitavas de final para o Brasil por 2 a 0 (no Mundial de 2002).

Essa falta de experiência em Copas não vai afetar o time, um dos mais jovens da competição (média de idade de 25,5 anos), segundo o capitão Kompany. "Não temos vivência de Mundiais, mas temos experiências nos torneios que disputamos pelos clubes. Construímos nossa história", afirmou o zagueiro do Manchester City, atual campeão inglês.

O técnico Wilmots prefere falar em "geração com fome de ganhar" em vez de "geração de ouro". E espera que sua equipe repita a ótima campanha nas Eliminatórias, quando não perdeu nenhuma partida. Ele armou um time no 4-3-2-1 e não pretende mudar isso agora. É uma seleção ofensiva, com jogadores rápidos pelos lados do campo.

No ataque, Hazard joga pela esquerda, e Mirallas, pela direita. O centroavante é Lukaku, um clone de Drogba. No gol, joga a também revelação Courtois. Sem sombra de dúvida, é a seleção favorita a ficar com o primeiro lugar do Grupo H.

Já a Argélia chega a sua quarta Copa com um objetivo bem mais modesto: avançar às oitavas de final, algo que nunca conseguiu em suas três participações anteriores. O melhor jogador do time é o meia Feghoulli, que atua no Valencia, da Espanha. Outro bom jogador é o atacante Slimani, do Sporting.

O técnico Vahid Halilhodzic sonha com um resultado que ninguém acredita: vitória da Argélia. "A Bélgica é a favorita do grupo, mas nem sempre os favoritos vencem. Vamos jogar com audácia e coragem."

FICHA DE JOGO

BÉLGICA X ARGÉLIA

BÉLGICA - Courtois; Alderweireld, Kompany, Vermaelen e Vertonghen; Witsel, Fellaini e De Bruyne; Mirallas, Lukaku e Hazard.

Técnico: Marc Wilmots

ARGÉLIA - M’Bohli; Mostefa, Bougherra, Cadamuro e Ghoulam; Feghouli, Medjani, Taider e Bentaleb; Soudani e Slimani.

Técnico: Vahid Halilhodzic

Juiz: Marco Antonio Rodríguez (MEX)

Local: Mineirão Horário: 13h

Transmissão: Globo, Band, Band Sports, SporTV, ESPN, Fox Sports

Copa 2014