1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Copa 2014

Ray Whelan, CEO da Match, vai se entregar, dizem advogados

Jamil Chade e Tiago Rogero - O Estado de S. Paulo

10 Julho 2014 | 19h 33

Executivo fugiu do hotel Copacabana Palace pela porta dos fundos

Atualizado às 23h19

Os advogados da CEO da Match, Raymond Whelan, garantiram no começo da noite desta quinta-feira para a polícia que seu cliente vai se entregar. O executivo fugiu antes de a chegada da Polícia Civil do Rio ao hotel Copacabana Palace. Ao constatar o fato, os policiais também deixaram o local rapidamente e iniciaram as buscas em outros pontos da cidade.

Segundo o delegado Fábio Barucke, da 18ª DP, Whelan fugiu do Copacabana Palace pela porta dos fundos. Os policiais chegaram ao hotel às 15h50, foram ao escritório da Match e, posteriormente, ao quarto do executivo - lá, ele deixou o chinelo. De acordo com o responsável pela investigação, a fuga do acusado foi flagrada pelas câmeras de vigilância interna do hotel.

A Justiça decretou a prisão preventiva de Whelan, acusado de ser o principal fornecedor do esquema de venda ilegal de ingressos da Copa do Mundo. A juíza Joana Cortes, da 7ª Vara Cível, titular em exercício do Juizado Especial do Torcedor e Grandes Eventos, recebeu a denúncia encaminhada pelo Ministério Público. Os advogados do CEO da Match já informaram que vão recorrer da decisão.

Jamil Chade/Estadão
Raymond Whelan fugiu antes da chegada da Polícia Civil do Rio ao hotel Copacabana Palace

Enquanto a direção do Copacabana Palace exigia que fotos não fossem feitas e que a reportagem se retirasse do local, o mal-estar era claro diante da polícia que chegou a bloquear, sem saber, o cortejo de Joseph Blatter.

As viaturas da polícia ficaram estacionadas na porta do hotel, impedindo que os carros blindados de Blatter pudessem estacionar. Quando o cartola entrou pelo hotel, ele olhava sem entender para a presença de policiais e de um clima de tensão no local sempre marcado pela elegância e a música ambiente.

A polícia chegou ao local às 15h50 e apenas deixou o hotel às 16h30, depois de se dar conta que o suspeito tinha fugido. Num primeiro momento, a direção do hotel levou os policiais até o escritório da Match. Mas Whelan já tinha até mesmo feito o check-out, pago sua conta e deixado o local.

Copa 2014