1. Usuário
Assine o Estadão
assine
Copa 2014

Resumo Esportivo: 3º dia da Copa tem dança, viradas, zebra e clássico

Estadão Conteúdo

15 Junho 2014 | 00h 17

Itália derrota Inglaterra com gol de Balotelli, Costa Rica surpreende Uruguai e Colômbia e Costa do Marfim vencem no Grupo C

Na rodada com mais jogos da Copa do Mundo, danças e surpresas marcaram as partidas, que também contou com a primeira expulsão, protagonizada por Maxi Pereira e a quarta virada em oito jogos no torneio. A seleção brasileira continuou os treinamentos em Teresópolis e mandou os olheiros Alexandre Gallo e Roque Júnior observarem os próximos adversários. Se no Brasil as manifestações diminuíram, na Suíça foi a vez da sede da Fifa sofrer repressões. Já o atacante Lionel Messi entra em aquecimento para a meta mais ousada da carreira: superar o maior jogador da história da Argentina. Confira tudo o que rolou.

COLÔMBIA 3 X 0 GRÉCIA

Na abertura do Grupo C, a Colômbia jogou como se estivesse em casa. No Mineirão, os colombianos dominaram o jogo do início ao fim, saíram vitoriosos e com a liderança do grupo na competição. Nem a ausência do principal jogador da Colômbia, Falcao Garcia, foi sentido durante o jogo. 

Os sul-americanos abriram o placar logo no início de jogo, com Armero. Mas, foi na comemoração que o jogador chamou a atenção, quando fez a uma dança típica de seu país. E não é a primeira vez que o ex-palmeirense arranca sorrisos da arquibancada com uma coreografia, já que foi personagem principal de momentos parecidos no Palmeiras. No segundo tempo, Teófilo Gutierrez e James Rodríguez garantiram a vitória colombiana

Colômbia x Grécia
Aris Messinis/AFP

Já nos acréscimos, James Rodríguez fechou o placar em 3 a 0 para os colombianos

COSTA RICA 3 x 1 URUGUAI

A zebra, uma velha conhecida da Copa do Mundo, deu as caras justamente contra a seleção que levantou a taça no Brasil em 1950. A Costa Rica passou de "saco de pancadas" no Grupo da Morte para "fiel da balança" que pode já na segunda rodada eliminar um campeão mundial da competição. Quarto colocada em 2010, o time do técnico Oscar Tabarez sofreu nos pés do atacante Campbell e saiu de campo com uma surpreendente derrota por 3 a 1.

Os sul-americanos saíram na frente do placar na Arena Castelão, com Cavani, de pênalti, aos 32 minutos do fraco primeiro tempo. Logo aos 9 minutos da segunda etapa, Campbell colocou números iguais no placar. Dois minutos depois Duarte virou. Aos 39 Ureña sacramentou o resultado que até o momento briga com a goleada da Holanda como placar mais inacreditável da Copa do Mundo.

Costa Rica surpreende e bate o Uruguai
Christophe Ena/AP

Entre os torcedores uruguaios, que deixavam a arena de Fortaleza antes do fim do jogo, o Fantasma de 50 podia ser visto incrédulo, longe do sonho do Maracanazo.

ITÁLIA 2 X 1 INGLATERRA

Nem mesmo o forte calor de Manaus, motivo de reclamações de jogadores e torcedores, foi suficiente para atrapalhar o espetáculo ocorrido na Arena da Amazônia. No segundo clássico europeu, na Copa do Mundo de 2014, a Itália derrotou a Inglaterra e garantiu a primeira vitória no grupo da morte em grande jogo de Balotelli.

E não parecia que dia terminaria tão bem, após a confirmação da ausência de Buffon no gol da seleção italiana. Em campo, a Itália foi decisiva, aproveitou as chances e marcou com Marchisio e sofreu o empate com Sturridge. Mas, a Itália tinha nos pés do decisivo Balotelli a salvação e o italiano marcou o gol vitorioso na estreia.

Itália derrota Inglaterra na estreia
Darren Staples/Reuters

England's Wayne Rooney, left, drags his shot wide through the Italian defenders during the group D World Cup soccer match between England and Italy at the Arena da Amazonia in Manaus, Brazil, Saturday, June 14, 2014. (AP Photo/Martin Mejia)

COSTA DO MARFIM 2 X 1 JAPÃO

O marfinense Drogba voltou a provar na noite deste sábado, na Arena Pernambuco, no Recife, que nada como o talento de um craque para superar qualquer esquema tático disciplinado. O atacante marfinense entrou no segundo tempo e mudou a história da estreia de seu time, a Costa do Marfim, que venceu o Japão por 2 a 1 ao fechar a primeira rodada do Grupo C da Copa do Mundo. Com o resultado, a equipe africana encostou na Colômbia, que venceu a Grécia na estreia por 3 a 0 e lidera a chave. 

A Costa do Marfim pode carimbar sua classificação inédita para as oitavas contra a Colômbia, na quinta-feira, em Brasília, às 13h, no Mané Garrincha. A equipe japonesa volta a entrar em campo para decidir seu futuro na Copa contra a Grécia também na quinta, a partir das 19h, em Natal, na Arena das Dunas

Costa do Marfim estreia na Copa com virada
Ruben Sprich/Reuters

Na segunda rodada do Grupo C, a Costa do Marfim enfrenta a Colômbia, no Mané Garrincha, enquanto o Japão pega a Grécia, na Arena das Dunas, ambos no dia 19.

SELEÇÃO BRASILEIRA

Após a seleção brasileira estrear na Copa do Mundo com a vitória por 3 a 1 sobre a Croácia, na última quinta-feira, a comissão técnica já se planeja para os próximos compromissos com a intenção de evitar surpresas. Por isso, neste sábado, o técnico Luiz Felipe Scolari e o seu auxiliar, Murtosa, se reuniram com Alexandre Gallo e Roque Júnior.

Os dois ex-jogadores foram encarregados pela comissão técnica de observarem os próximos adversários do Brasil na Copa. E foi isso que eles fizeram na última sexta. Assim, Roque Júnior, pentacampeão mundial com a seleção em 2002, esteve na Arena das Dunas, em Natal, e assistiu a vitória do México por 1 a 0 sobre Camarões.

Apesar da vitória na estreia da Copa do Mundo, nem tudo deu certo na Arena Corinthians. Em depoimento exclusivo ao Estado, um dos 1.300 voluntários que estiveram na Arena Corinthians no jogo de abertura da Copa, entre Brasil e Croácia, dimensiona a contingência de problemas que a Fifa terá de resolver para as outras cinco partidas marcadas no estádio de São Paulo. Demonstra ainda que a organização deixa a desejar. Ou pelo menos deixou no primeiro teste.

OUTRAS SELEÇÕES

No Maracanã, na noite deste domingo, Messi fará seu primeiro jogo no mais famoso estádio do Brasil. O argentino jogou a primeira partida como profissional em novembro de 2003 e já disputou 532 jogos na carreira. O craque, entretanto, pisou apenas uma vez em gramados brasileiros - em junho de 2008, no Mineirão, contra a seleção brasileira. A partida, válida pelas eliminatórias da Copa de 2010, terminou 0 a 0. Na ocasião, o argentino, que ainda não havia conquistado o título de melhor do mundo, teve boa atuação e até arrancou aplausos da torcida brasileira.

O atacante é o melhor do seu tempo, mas não dá para comparar Messi e Maradona. Mesmo que o craque do Barcelona tenha sido quatro vezes o melhor mundo e obrigue os especialistas a atualizarem seus recordes às pressas, Maradona foi um herói. De seu tempo e de todos os outros que vieram depois.

No dia da estreia da Argentina na Copa, neste domingo, contra a Bósnia, no Maracanã, a diferença entre Messi e Maradona ainda é gigantesca. Mas é possível dar uma colher de chá para o craque do Barcelona e deixar as coisas mais parelhas. E se a comparação fosse feita com um Maradona mais jovem, antes de se tornar um profeta, por volta dos 26 anos, mesma idade que Messi tem hoje? Aí dá jogo. Foi nessa encruzilhada que o Estado colocou torcedores, jornalistas e dirigentes argentinos.

MANIFESTAÇÕES

Cerca de 150 manifestantes se reuniram neste sábado em frente à sede da Fifa em Zurique, na Suíça, com bandeiras criticando a administração e a condução da Copa do Mundo do Brasil, causando poucos danos ao prédio da entidade. A reputação da entidade está manchada por acusações de corrupção. A sua gestão do torneio, que começou na quinta-feira em São Paulo, também tem sido criticada. 

Copa 2014