1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Ricardo Teixeira tem R$ 100 milhões em conta secreta

Jamil Chade - O Estado de S. Paulo

07 Junho 2014 | 16h 15

Valor está depositado em banco de Mônaco, onde o ex-presidente da CBF estaria sendo investigado por lavagem de dinheiro

O ex-presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira, teria mais de 30 milhões de euros (cerca de R$ 100 milhões) em uma conta secreta em Mônaco. A informação foi revelada pelo jornal eletrônico francês Mediapart, como parte de uma investigação conduzida sobre o banco Pache, uma filial do grupo Credit Mutuel.

O caso estaria sendo investigado pelas autoridades monegascas por lavagem de dinheiro, num processo conduzido pelo juiz Pierre Kuentz. Em gravações realizadas pela Justiça e obtidas pelo jornal francês, o nome de Teixeira é citado pelo diretor do banco, Jürg Schmid.

"Eu não quero ter de ficar explicando a situação a todos. Quando se faz barulho interno e externo, nós estaremos na rua", disse Schmid.

"Nós, no banco Pasche, temos uma situação em que devemos provavelmente aceitar clientes que outros bancos certamente não aceitariam", disse. Ele explicaria de forma mais precisa sua declaração. "Eu tenho um, o grande brasileiro", afirmou.

AP
Ex-presidente da CBF sofre acusação de jornal francês

"Eu sei muito bem que nenhum outro banco de Mônaco queria abrir uma conta dele", disse. "Agora, ninguém o quer porque se trata verdadeiramente de uma fria", estimou. "Mas nos fizemos tudo, já que temos a declaração de imposto e a declaração dos tribunais que dizem que ele não foi condenado", declarou. "Evidentemente, ele é conhecido, mundialmente conhecido", afirmou. "Portanto, existe um risco de reputação".

O banqueiro chegou a dar explicações sobre a origem do dinheiro. "Sabemos que ele recebeu dinheiro em troca de favores, mas não são políticos", disse. "Decidimos juntos que nós o receberíamos porque ele nos traz 30 milhões de euros e isso não é pouco", declarou Schmid.

Segundo o jornal, nos últimos meses, Teixeira teria feito diversas viagens até Mônaco. Ele teria passado pelo principado em janeiro, fevereiro, abril e maio de 2014, sempre ficando pelo menos dois ou três dias. De acordo com a publicação, o cartola se hospeda no luxuoso hotel Metropole e a conta é sempre paga pelo banco Pasche. Isso não seria por acaso: o hotel fica a poucos metros do banco.