1. Usuário
Assine o Estadão
assine
Copa 2014

Técnico croata está otimista para estreia contra Brasil

Tiago Décimo - Agência Estado

06 Junho 2014 | 23h 48

Croácia teve dificuldade, mas venceu a Austrália por 1 a 0, em Salvador, mas perdeu o lateral Pranjic ainda no primeiro tempo

Depois de assistir ao primeiro tempo da vitória do Brasil sobre a Sérvia, por 1 a 0, e da vitória do time que comanda, a Croácia, sobre a Austrália, pelo mesmo placar, em Salvador, nesta sexta-feira, o técnico Niko Kovac disse estar "bem otimista" para a partida que abre a Copa do Mundo, entre a seleção brasileira e a croata, no próximo dia 12, em São Paulo. "Se jogarmos bem como podemos, fico bem otimista (sobre a partida)", disse o treinador.

Kovac reconheceu que sua equipe não produziu bem no primeiro tempo do jogo contra a Austrália, mas enalteceu a produção da seleção croata no início da segunda etapa. "Claro que a Austrália não é o Brasil, mas já tenho uma ideia de como quero que a Croácia jogue na abertura da copa e acho que estaremos prontos", disse.

Angelo Pontes/Reuters
Em último teste, Croácia bate Austrália por 1 a 0

A baixa da partida foi a contusão do lateral-esquerdo Pranjic, que torceu o tornozelo esquerdo em uma jogada de ataque no primeiro tempo. "A situação dele preocupa", admitiu o treinador. "Vamos ter de avaliar nos próximos dias como está a evolução do quadro".

O clima de confiança contagiou os jogadores da seleção croata, entre eles os brasileiros naturalizados Eduardo e Sammir. "O Brasil é favorito, mas a gente está aqui para atrapalhar", disse o primeiro. "A gente está se preparando para isso", concordou o segundo. "A gente tem qualidade suficiente para chegar lá, fazer um bom jogo e conseguir o resultado".

Para Sammir, baiano de Itabuna, no sul do Estado, a partida foi especial, já que 40 familiares e amigos da família, vindos de sua cidade natal, estavam na tribuna do estádio de Pituaçu. "É uma experiência especial, voltar para casa na minha primeira Copa do Mundo", reconheceu. "E a seleção da Croácia escolher ficar na Bahia foi muito especial para mim".

Por restrições da comissão técnica, ele ainda não encontrou nem falou com os pais, Erci Cruz e Adailton Campos, que estavam no estádio. O encontro, porém, já está agendado para depois da partida contra o Brasil. "Eles vão lá na nossa ''base'' (em Praia do Forte, no litoral norte da Bahia) na semana que vem", contou o jogador.

Já Eduardo Silva disse ainda se sentir "tranquilo" sobre estar representando outro país na Copa do Mundo e jogar contra o Brasil. "Neste momento estou tranquilo, mas na hora do jogo claro que vai bater a emoção", admitiu. "Jogar uma partida de Copa do Mundo contra o Brasil, no Brasil, é coisa de filme. Mas quando a bola começa a rolar, a gente esquece, só vê o jogo. Estou muito feliz de estar em uma copa do mundo, isso é a melhor coisa".

Copa 2014