Daniel Augusto Jr|Agência Corinthians e Rubens Chiri|São Paulo.net
Daniel Augusto Jr|Agência Corinthians e Rubens Chiri|São Paulo.net

Corinthians e São Paulo fazem clássico do equilíbrio e tabu em jogo

Rivais se enfrentam pela 5ª vez no ano, em duelo que tem se mostrado equivalente. Só que o Tricolor ainda não venceu no estádio do rival

Daniel Batista e Paulo Favero, O Estado de S.Paulo

11 Junho 2017 | 07h02

Pela quinta vez no ano, Corinthians e São Paulo vão se enfrentar, em um duelo que tem se mostrado equilibrado em 2017 – foram três empates –, mas desta vez o time da casa chega à sua arena em Itaquera como sensação do Campeonato Brasileiro e tem como trunfo o tabu de nunca ter perdido para o rival em seu campo.

“Que seja um grande jogo, como foram os outros na temporada. Na Florida Cup empatamos, no Morumbi empatamos, no outro jogo perdemos pressionando bastante. Lá em Itaquera empatamos por 1 a 1, então existe um equilíbrio nos jogos que foram disputados. O time do Corinthians é muito forte, bem armado defensivamente, e temos de achar uma maneira de encontrar algumas brechas”, explicou o técnico Rogério Ceni.

Nas seis partidas na Arena Corinthians, foram quatro vitórias e dois empates para os donos da casa. Para o meia Thomaz, esse jejum só faz com que os jogadores do São Paulo tenham mais vontade de vencer. “O tabu é uma motivação a mais para conquistarmos os três pontos. Ainda não vencemos lá, mas precisamos disso”, disse. 

O técnico Fábio Carille, do Corinthians, acredita que o São Paulo não deve se aventurar ao ataque. “Estamos preparados para qualquer situação. Creio que será algo parecido com o que fez o Palmeiras e o Santos contra nós na arena. Ficaram mais atrás”, disse o treinador. 

Os papéis do início da temporada se inverteram. No começo do ano o São Paulo tinha uma alta média de gols e o rival era elogiado por seu poder defensivo. Neste Brasileiro, o Corinthians marcou dez gols em cinco partidas enquanto o tricolor se arrumou atrás e sofreu apenas dois gols no mesmo número de jogos, ambos fora de casa.

“Temos um sistema defensivo bem sólido e isso faz com que tenhamos mais tranquilidade para tentar criar jogadas e evoluir também do meio para frente”, explicou Carille. 

Já o meia Thomaz pede maior equilíbrio para o time tricolor. “Estamos tendo um bom aproveitamento no Morumbi, mas fora não conseguimos pontuar ainda. Estivemos perto, falta encontrar esse equilíbrio e precisamos dos pontos como visitante”, explicou Thomaz, que já passou pelo Corinthians nas categorias de base. 

No Corinthians Carille não tem o que mudar na equipe. Fagner e Rodriguinho continuam com a seleção brasileira e Marquinhos Gabriel, destaque diante do Vasco, ganha mais uma oportunidade entre os titulares. No São Paulo, Ceni faz mistério e não divulga sua escalação. A tendência é que mantenha a formação com três zagueiros e espera conseguir, pela primeira vez, levar o time à vitória no campo do adversário. Do outro lado, ele considera que tem um grande treinador. 

“Ele tem mais experiência na lida diária com os atletas, em contrapartida o que eu tenho são 25 anos dentro de campo jogando futebol. São ganhos diferentes. Carille vem fazendo trabalho brilhante no Corinthians e isso mostra sua virtude.”

FICHA TÉCNICA

CORINTHIANS: Cássio; Paulo Roberto, Pedro Henrique, Pablo e Guilherme Arana; Gabriel, Maycon, Marquinhos Gabriel, Jadson e Romero (Clayson); Jô. 

Técnico: Fábio Carille.

SÃO PAULO: Renan Ribeiro; Militão, Maicon e Lucão; Bruno, Jucilei, Cícero e Júnior Tavares; Marcinho, Pratto e Thomaz.  

Técnico: Rogério Ceni.

Juiz: Ricardo Marques Ribeiro (MG).  

Local: Arena Corinthians. 

Horário: 16h.

Mais conteúdo sobre:
São Paulo FC Corinthians

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.