1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Gol salvador de Romero no fim dá vitória ao Corinthians na estreia

- Atualizado: 31 Janeiro 2016 | 21h 51

Paraguaio marcou nos acréscimos na Arena Corinthians

Um gol de Romero nos acréscimos deu neste domingo ao Corinthians no Itaquerão a vitória por 1 a 0 na estreia do Campeonato Paulista, resultado mais do que merecido pela atuação. Enfraquecido pelas saídas de jogadores, o time jogou mal e saiu no lucro. 

O jogo pouco atrativo teve ainda um pênalti perdido por Rodriguinho e angústia. Abatido pelo calor e falta de ritmo, a equipe cansou e levou sufoco do clube do interior, até o gol da vitória cair no colo. Na única falha da defesa do XV, Elias trombou com o goleiro e a bola sobrou para Romero completar para as redes, aos 46 minutos do segundo tempo.

O desfigurado Corinthians começou 2016 sem seis titulares campeões brasileiros e com o mesmo esquema tático. Fiel ao 4-1-4-1, o técnico Tite manteve a formação. Para preservar a organização e o entrosamento, não escalou reforços de início. Reservas no ano passado como Romero e Rodriguinho ganharam a preferência por já entenderem como o treinador quer que a equipe atue.

Romero ficou com o gol livre para marcar o primeiro gol do Corinthians
Romero ficou com o gol livre para marcar o primeiro gol do Corinthians

Após atuações razoáveis na pré-temporada nos Estados Unidos, o Corinthians fez a torcida ir em bom número para acompanhar uma demonstração de como será na prática a nova equipe. O atual campeão brasileiro vai precisar de menos expectativas e mais paciências pelo menos neste começo de temporada.

A última saída do time, Malcom, fez o elenco ficar com poucas peças ofensivas. Quando Tite precisou mexer no segundo tempo, tinha apenas Marlone para tentar ganhar o jogo.

O veterano Danilo foi o escolhido para começar como o atacante centralizado. Ele até tentou buscar o jogo, principalmente ao encostar na direita, onde estava Romero, mas o XV de Piracicaba armou um ferrolho e congestionou o meio-campo. 

O Corinthians era muito organizado, tocava a bola, invertia o jogo de lado e demonstrou paciência. Até aí, parecia excelente. Só que a falta de finalizações denunciava que esse estilo significava ter o jogo nos pés e desperdiçar o tempo sem levar perigo ao adversário.

A pouca ameaça se explica em parte pela falta de atacantes de ofício. As duas melhores jogadas no primeiro tempo caíram no pé do meia Lucca. Desengonçado, chutou pelo alto boas oportunidades.

Pior ainda foi perder um pênalti aos 28 minutos. Yago foi derrubado na área e Rodriguinho teve a chance de fazer a história do jogo ser um pouco menos sofrível. Fazer um gol significaria derrubar a muralha e tranquilizar a situação. Mas a cobrança saiu ao lado do gol de Bruno Brígido.

O XV de Piracicaba ainda criou boas chances no primeiro tempo e teve um gol anulado. O time passou a ser mais incomodado na etapa final, quando o Corinthians trocou passes com mais velocidade e chegou mais perto do gol.

Romero continuou a ser o mais perigoso do time. Mas só o paraguaio foi pouco para quebrar a pasmaceira. Quando o XV de Piracicaba ameaçava, o Corinthians ganhou de presente o gol da vitória no fim.

Corinthians em 2016
Daniel Teixeira|Estadão
Corinthians 2 x 1 Santa Cruz

Luciano pôs fim a longo jejum e voltou a marcar na vitória por 2 a 1 sobre o Santa Cruz

FICHA TÉCNICA

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Felipe, Yago e Uendel (Guilherme Arana); Bruno Henrique, Romero, Elias, Rodriguinho e Lucca; Danilo. Técnico: Tite

XV DE PIRACICABA: Bruno Brígido; Daniel Damião, Fábio Sanches, Heitor e Julinho (Pavone); Magal, Léo Salino, Diney e Aloísio (Adriano), Henrique e Rodrigo Silva (Patrick). Técnico: Claudinho Batista.

Gols: Romero, aos 46 minutos do segundo tempo.

Juiz: Flávio Rodrigues de Souza.

Cartões amarelos: Daniel, Felipe, Romero. 

Renda: R$ 1.643.455,00. 

Público: 30.945 pagantes.

Local: Itaquerão, em São Paulo.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EsportesX