Célio Messias
Célio Messias

Corinthians inicia maratona com vitória sobre o Capivariano

Mesmo com um jogador a mais, Alvinegro leva susto, mas faz 3 a 2

Marcius Azevedo, O Estado de S. Paulo

22 Março 2015 | 17h54

O Corinthians começou a maratona de quatro jogos em oito dias pelo Campeonato Paulista com uma importante vitória. Com um jogador a mais desde os 24 minutos do primeiro tempo, quando o goleiro Douglas foi expulso corretamente pelo árbitro Guilherme Ceretta de Lima, o Alvinegro levou um susto na etapa final, quando sofreu dois gols, mas derrotou o Capivariano por 3 a 2, neste domingo, na Arena Capivari.

Com o resultado, o time do técnico Tite continua invicto e na liderança do Grupo 2, com 26 pontos - são oito vitórias e dois empates em dez partidas. A equipe alvinegra, que enfrenta uma maratona por causa da participação na pré-Libertadores, entra em campo novamente na terça-feira, diante da Portuguesa, em jogo adiado pela 4ª rodada, no Itaquerão. Depois enfrenta a Penapolense na quinta-feira, novamente em casa, e o Bragantino, domingo, em Bragança Paulista.

Sem Elias, que se apresentou à seleção brasileira para amistosos contra França e Chile, o Corinthians perdeu claramente força na saída de bola. Cristian não dispõe da mesma qualidade do titular. Para piorar, o Capivariano jogava fechado, não queria se expôs, mesmo atuando em casa.

O estado do gramado, em péssima condição por causa da chuva que caiu na véspera da partida e deficiência no sistema de drenagem, era outro aspecto que dificultava o trabalho dos jogadores alvinegros. A ligação direta era um erro constantemente cometido.

 
A primeira chance corintiana, aos 11 minutos, só surgiu porque Júlio César resolveu brincar na frente de Guerrero. O peruano bateu a carteira do volante, mas chutou em cima da marcação, quando Emerson entrada livre na área pelo lado esquerdo.

Aliás, outro erro individual comprometeu o desempenho do Capivariano, que, até então, era eficiente, cumprindo rigorosamente a proposta defensiva do técnico Ivan Baitello. Aos 24 minutos, Oliveira tentou driblar Renato Augusto no meio de campo, o corintiano ficou com a bola, avançou e, ao tentar passar pelo goleiro, Douglas tocou com a mão esquerda fora da área e foi expulso.

Com um jogador a mais, o Corinthians, que naquela altura já exercia domínio total, passou a pressionar ainda mais. O Capivariano se fechou definitivamente, com todos os jogadores da intermediária para trás. A muralha defensiva suportou apenas 17 minutos.

Aos 42, Renato Augusto caiu pelo lado esquerdo, confundiu os marcadores e deu lindo passe por trás da defesa para Emerson. O atacante finalizou de pé esquerdo, sem chances para André Luís. Dois minutos depois, Guerrero contou com a sorte para ampliar. O peruano chutou, a bola desviou em Oliveira e entrou.

A situação do gramado, que já era péssima na etapa inicial, se agravou ainda mais no segundo tempo. Os corintianos insistiam na troca de passes laterais, em um claro sinal de relaxamento, o que dificultava bastante o trabalho ofensivo. Tite colocou Petros no lugar de Cristian para aumentar o poder de fogo, na tentativa de evitar uma surpresa.

Pouco depois da substituição, no entanto, o Corinthians foi surpreendido. Em uma boa trama de ataque, aos 12 minutos, Vinícius encontrou Rodolfo na área pelo lado esquerdo, que rolou para Kleiton Domingues. Diante de Cássio, o meia errou o chute e enganou o goleiro.

O gol serviu para acordar o Alvinegro. A equipe se concentrou um pouco mais na partida e marcou o terceiro rapidamente. Danilo, que havia entrado no lugar de Renato Augusto, iniciou o lance, que contou com passe preciso de Jadson para mais um gol de Guerrero, aos 20.

Os jogadores do Capivariano acusaram o golpe e esmoreceram em campo. O Corinthians buscou matar o jogo, mas, outra vez, foi surpreendido. Quando tudo parecia decidido, já aos 38 minutos, um vacilo da defesa em cobrança de falta na área deixou o zagueiro Fernando Lombardi sozinho para marcar de cabeça.

Apesar de diminuir o placar, os donos da casa não tiveram força para acreditar em um possível empate. Os minutos finais, que poderiam ser de muita pressão para o Corinthians, transcorreram tranquilamente.

FICHA TÉCNICA

CAPIVARIANO 2 x 3 CORINTHIANS

CAPIVARIANO - Douglas; Oliveira, Marllon, Fernando Lombardi e Pedro Henrique; Júlio César, Samuel Souza, Wigor (André Luís) e Kleiton Domingues (Aílton); Rodolfo e Vinícius (Regis). Técnico: Ivan Baitello.

CORINTHIANS - Cássio; Fagner, Felipe, Edu Dracena e Uendel; Ralf, Cristian (Petros), Renato Augusto (Danilo) e Jadson (Vagner Love); Emerson e Guerrero. Técnico: Tite.

GOLS - Emerson, aos 42, e Guerrero, aos 44 minutos do primeiro tempo; Kleiton Domingues, aos 12, Guerrero, aos 20, e Fernando Lombardi, aos 38 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Fernando Lombardi, Wigor e Marllon (Capivariano); Cristian, Renato Augusto e Ralf (Corinthians).

CARTÃO VERMELHO - Douglas (Capivariano).

ÁRBITRO - Guilherme Ceretta de Lima.

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Arena Capivari, em Capivari (SP).

Mais conteúdo sobre:
futebol Campeonato Paulista Corinthians

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.