Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians
Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians

Corinthians vai tentar negociar Emerson Sheik depois do Paulistão

Mesmo com vaga no ataque, jogador não é a primeira opção do técnico Mano Menezes

Vítor Marques, O Estado de S. Paulo

14 Março 2014 | 05h11

SÃO PAULO - Alexandre Pato está no São Paulo, e Paolo Guerrero, machucado. Emerson Sheik tinha tudo para ser titular do Corinthians nesta reta final de Campeonato Paulista. Mas não é o que acontece. No treino que definiu a equipe que vai a Penápolis, Mano Menezes manteve Romarinho e Luciano no ataque.

Sheik virou reserva. E isto tem sido uma constante. Dirigentes tentaram, a todo o custo, negociá-lo neste início de ano. O problema, segundo um deles disse ao Estado, é que não houve times interessados. Ninguém sequer cogitou  contratá-lo com o Corinthians pagando metade do salário do jogador, cerca de R$ 500 mil.

Neste início de ano, surgiram várias especulações ou sondagens, como de Atlético Mineiro e Grêmio. Mas o Corinthians não conseguiu abrir negociação com nenhum clube.Como os Estaduais entram em fases finais e já não há mais prazos de inscrições de novos jogadores, o Corinthians tem de ficar com Sheik até o fim do Paulistão.

Dirigentes dizem que Emerson Sheik se tornou um jogador inconstante. Quando está bem tecnicamente e fisicamente, ele geralmente é expulso ou vive problemas extra-campo. Hoje segundo os cartolas que acompanham o futebol, o problema de Emerson é técnico e por isso Mano não o escala como titular. Com Sheik em baixa, avaliam dirigentes, é muito difícil achar clubes interessados.

Emerson Sheik não marca um gol desde o dia 31 de julho do ano passado na vitória contra o Grêmio por 2 a 0, quando Pato ainda vislumbrava um futuro melhor no Corinthians.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.