José Patrício/Estadão
José Patrício/Estadão

Corintianos falam em vacilo por permitirem reação adversária

Depois de abrir 5 no placar, Alvinegro tomou três gols

RAPHAEL RAMOS, O Estado de S. Paulo

26 Março 2015 | 21h49

Apesar da vitória por 5 a 3 sobre o Penapolense nesta quinta-feira, no Itaquerão, pelo Campeonato Paulista, os jogadores do Corinthians não ficaram totalmente satisfeitos com a atuação da equipe. O time abriu 5 a 0 no início do segundo tempo e depois relaxou, permitindo que o adversário reagisse. O clube alvinegro não sofria três gols desde a penúltima rodada do Campeonato Brasileiro do ano passado, quando perdeu por 5 a 2 do Fluminense.

"Diminuímos bastante o ritmo, o que é natural. Vacilamos em algumas bolas, vai servir de aprendizado. Na próxima vez que abrir placar assim, temos de ficar mais com a bola. Demos muito chutão no final", disse o meia Renato Augusto.

O Corinthians disputou nesta quinta-feira o seu terceiro jogo em apenas cinco dias. O time volta a campo neste domingo, quando enfrenta o Bragantino, fora de casa.

Para o volante Bruno Henrique, que entrou no segundo tempo no lugar de Petros, o desgaste físico da equipe foi determinante para a queda de rendimento na etapa final. "Nosso time bobeou. Não podemos dar esses vacilos na sequência. O time deles cresceu, pegou confiança. Estamos em uma crescente muito grande, jogos em cima de jogos. É natural dar uma relaxada. Esperamos que sirva de lição. Faltou atenção, não podemos tomar três gols. O Tite vai puxar a nossa orelha", disse.

O técnico deve escalar um time misto contra o Bragantino. O foco da equipe está no jogo da próxima quarta-feira contra o Danubio, do Uruguai, pela Copa Libertadores. O time tem nove pontos em três partidas e, com nova vitória no Itaquerão, praticamente se classifica para as oitavas de final.

Mais conteúdo sobre:
futebol Campeonato Paulista Corinthians

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.