Kai Pfaffenbach/Reuters
Kai Pfaffenbach/Reuters

Cortado da Rússia por lesão, Mário Fernandes está fora da Copa das Confederações

Brasileiro naturalizado sofreu fratura no nariz

O Estado de S.Paulo

22 Maio 2017 | 11h32

Incluído anteriormente em uma pré-lista de 30 convocados da Rússia para a Copa das Confederações, o lateral-direito brasileiro Mário Fernandes quebrou o nariz em jogo do CSKA Moscou no último domingo e teve o seu corte da seleção do país oficializado nesta segunda-feira. O jogador acabou sendo descartado de um grupo que foi reduzido para 28 nomes e foi confirmado pela União Russa de Futebol para um período de treinos na Áustria, entre o próximo dia 26 e 3 de junho.

Ex-Grêmio e no CSKA Moscou desde 2012, Mário Fernandes se naturalizou russo no ano passado e tinha grandes chances de atuar na Copa das Confederações, que será entre 17 de junho e 2 de julho, na Rússia, palco desta competição da Fifa que serve como evento-teste para a Copa do Mundo de 2018.

Mário Fernandes fraturou o nariz na goleada por 4 a 0 sobre o Anzhi Makhachkala, em Moscou, onde o brasileiro Vitinho marcou duas vezes na vitória que garantiu o CSKA na fase qualificatória para o estágio de grupos da próxima Liga dos Campeões da Europa. Por causa do problema, ocorrido nesta rodada final do Campeonato Russo, o atleta será operado nos próximos dias e não terá condições de se recuperar a tempo de defender a Rússia da Copa das Confederações.

Apesar de ter quebrado o nariz, o lateral atuou por 90 minutos neste triunfo que assegurou ao CSKA o vice-campeonato russo - o campeão por antecipação foi o Spartak Moscou. Além de Mário Fernandes, o meio-campista Alan Dzagoev, também do CSKA, foi cortado por lesão nesta segunda-feira da seleção após ser outro a figurar na lista prévia de 30 convocados para a competição que começa daqui menos de um mês.

Mário Fernandes, de 26 anos, amargou esta grande decepção depois de ter sido chamado anteriormente para defender a seleção russa nos amistosos contra Costa do Marfim e Bélgica, realizados em março passado. Ele vinha fazendo parte do processo de renovação que está sendo promovido pelo técnico Stanislav Cherchesov, que vem descartando veteranos como Sergei Ignashevich e Vasily Berezutsky, presentes na Eurocopa do ano passado, na França.

Em 2011, após ser chamado pela primeira vez para defender a seleção brasileira no Superclássico das Américas, contra a Argentina, o então jogador do Grêmio alegou problemas pessoais para não atender à convocação de Mano Menezes. Naquela ocasião, admitiu que não tinha condições psicológicas para vestir a camisa do Brasil por causa de "problemas particulares responsáveis por uma alta carga de estresse".

Apesar do fato incomum, as portas da seleção não se fecharam para ele e Mário Fernandes depois acabou sendo convocado para defender o Brasil em amistosos contra Japão e Argentina, em 2014, quando foi chamado pelo técnico Dunga. Entretanto, só atuou na goleada por 4 a 0 sobre os japoneses, substituindo o lateral Danilo no decorrer da partida realizada em Cingapura. E a sua passagem pelo time nacional se encerrou por aí, antes de o atleta de 26 anos optar por atuar pela Rússia.

Antes de ficar sem Mário Fernandes e Alan Dzagoev, a Rússia já havia perdido o goleiro Andrei Lunyov, do Zenit, que se lesionou na semana passada. Cortado, o jogador foi substituído na seleção por Vladimir Gabulov, do time russo Arsenal Tula, um dos quatro jogadores da sua posição chamados para este período de treinos da seleção na Áustria.

A lista final da convocados para a Copa das Confederações deverá ser reduzida para 23 nomes até 7 de junho. A seleção russa irá integrar um grupo que contará com Nova Zelândia, Portugal e México na competição, que será aberta no dia 17 do próximo mês com o duelo entre russos e neozelandeses.

Mais conteúdo sobre:
Futebol Mario Fernandes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.