1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail
Copa 2014

Cotado para treinar a seleção brasileira, Tite se cala

Ex-técnico do Corinthians enfrenta a concorrência de Luxemburgo, Muricy Ramalho e Gallo

Treinador mais cotado para assumir a seleção no lugar de Luiz Felipe Scolari, Tite prefere não falar sobre o momento da equipe nem do futebol brasileiro de maneira geral. Por uma questão de ética. Apesar das divergências públicas entre ambos ocorridas recentemente, o ex-técnico do Corinthians alega não sentir-se à vontade para analisar ou dar opiniões sobre o trabalho que está sendo feito pelo atual comando da seleção.

Tite deixou o Corinthians no final do ano passado e, naquela altura, seu nome já circulava com força para assumir a seleção brasileira depois da Copa do Mundo. Na época, o raciocínio era de que Felipão iria dar seu trabalho como concluído depois do Mundial, deixaria o cargo vago e ele seria contratado como sucessor.

O treinador apostou nessa possibilidade, a ponto de recusar convites de clubes do Brasil e do exterior para trabalhar. Alegava, oficialmente, que, depois de anos desgastantes no comando do Corinthians, precisava passar por um "período sabático", ou seja, descansar e também fazer algum tipo de intercâmbio com treinadores de equipes internacionais.

Desde sua saída do Corinthians, Tite não treinou nenhum outro clube
Desde sua saída do Corinthians, Tite não treinou nenhum outro clube

Tite de fato fez isso, mas como parte de seu objetivo principal, assumir a seleção. Tanto que pessoas próximas ao treinador dizem que ele só está esperando um telefonema do presidente da CBF, José Maria Marin, para dizer "sim".

O treinador evitou, inclusive, convite para comentar a Copa do Mundo para emissoras de TV e fazer colunas para jornais. Mesmo que fosse para trabalhar em jogos de outras seleções. Tinha consciência de que fatalmente seria instigado a opinar sobre a seleção brasileira, o que entendia não ser correto.

O nome de Tite é bem aceito por José Maria Marin e por Marco Polo del Nero. Ambos serão responsáveis pela contratação do novo treinador para a seleção, quando isso se der, mas, oficialmente, será Marin a tomar a decisão. Del Nero não quer demonstrar que está interferindo na administração do aliado. Mas tem elogiado bastante Tite.

* Colaborou Vítor Marques

Copa 2014