1. Usuário
Assine o Estadão
assine
Futebol Internacional

Craques brasileiros deixam de ser estrelas no mercado europeu

Felippe Scozzafave e Vanderson Pimentel - O Estado de S. Paulo

02 Setembro 2014 | 06h 55

Outrora os atletas mais valiosos nas listas de transferência nos grandes clubes da Europa, brasileiros não são mais protagonistas

O jogador brasileiro sempre fez muito sucesso no futebol europeu e são muitos os casos em que esses atletas foram negociados, seja indo do Brasil para a Europa ou mesmo dentro do próprio "velho" continente por cifras muito altas. Porém, na janela de transferências que se encerrou nesta segunda-feira, foram poucos os atletas nascidos no Brasil vendidos por valores astronômicos e que chamassem atenção.

Antes do início da Copa do Mundo, uma transferência em especial foi destaque no futebol europeu, quando o zagueiro David Luiz trocou o Chelsea pelo Paris Saint-Germain por R$ 186 milhões e se transformou no defensor mais caro da história do futebol. Porém, após o Mundial, quando o mercado realmente esquentou, também por causa da má impressão deixada pela seleção brasileira na competição, o único atleta nascido no país e que foi comprado por uma grande quantia foi o "espanhol" Diego Costa, contratado pelo Chelsea por R$ 114,5 milhões após conduzir o Atlético de Madrid ao título do Campeonato Espanhol e à final da Liga dos Campeões.

Benoit Tessier/Reuters
A transferência de David Luiz para o PSG é a maior de um defensor em todos os tempos

Entre as outras negociações envolvendo atletas brasileiros, destaques para Filipe Luís, que fez o mesmo caminho de Diego Costa, o lateral Guilherme Siqueira, que chegou ao Atlético para substituir Filipe, o volante Rômulo, contratado pela Juventus e Fernando, que foi para o Manchester City. Além deles, alguns atletas chegaram a novos clubes por empréstimo, como é o caso de Casemiro, que deixou a reserva do Real Madrid para defender o Porto.

A movimentação é muito pequena, se comparada aos últimos anos, quando tivemos, em 2012, transferências como as de Thiago Silva, Hulk e Lucas que envolveram quase R$ 400 milhões e em 2013 nomes como Willian e Fernandinho, isso sem falar de Neymar, que trocou o Santos pelo Barcelona por R$ 163,5 milhões, a segunda maior transação envolvendo um jogador brasileiro em todos os tempos, superada apenas pela compra de Kaká pelo Real Madrid, em 2009, que rendeu R$ 188,5 milhões aos cofres do Milan.

DA COPA, SÓ JÚLIO CÉSAR TROCOU DE TIME

Entre os 23 convocados pelo técnico Luiz Felipe Scolari para a Copa do Mundo, apenas o goleiro Júlio César foi negociado dentro do futebol europeu. Porém, apesar de ter feito uma boa Copa, o atleta de 34 anos passou longe de ser uma negociação milionária e trocou o Queens Park Rangers pelo Benfica a custo zero. O goleiro, que passou os últimos meses emprestado ao Toronto FC, do Canadá, não seria utilizado no clube inglês e, por isso, foi colocado no mercado.

Divulgação
Júlio César defenderá o gol do Benfica por uma temporada

Futebol Internacional