Sergio Perez/Reuters
Sergio Perez/Reuters

Cristiano Ronaldo exalta Real Madrid, mas vê 'decisão 50/50: Tudo pode acontecer'

Português não vê favoritismo em confronto com a Juventus

Estadão Conteúdo

10 Maio 2017 | 20h26

Cristiano Ronaldo celebrou muito a classificação para a decisão da Liga dos Campeões da Europa contra a Juventus, no dia 3 de junho, em Cardiff, no País de Gales, após o Real Madrid perder de 2 a 1 para o Atlético de Madrid nesta quarta-feira - o time do técnico francês Zinedine Zidane vencera o jogo de ida por 3 a 0.

Mas, apesar de enaltecer a tradição do Real Madrid, o atacante português se mostrou realista quando questionado sobre a final e descartou um suposto favoritismo do time espanhol. "Estou muito contente", revelou Cristiano Ronaldo. "Mas, para ganhar a Liga dos Campeões, é preciso lutar até o fim. É uma decisão 50/50: tudo pode acontecer. Vejo a equipe bem e vamos jogar a final para ganhar".

Sobre o bom início do Atlético de Madrid nesta quarta-feira, que chegou a abrir 2 a 0 em 16 minutos, Cristiano Ronaldo disse que jamais temeu pela classificação. "Isto é futebol. Sabemos que o Atlético começa muito bem. Eles tiveram sorte de marcar dois gols, mas sabíamos que, com uma equipe da nossa experiência, mataríamos o confronto com um gol", avaliou. "E foi o que aconteceu. Nós somos o Real Madrid e temos mais experiência, como demonstramos".

O atacante também elogiou o bom momento da equipe - e a sua própria forma física. "O time está jogando bem, tanto os que atuam mais quanto os que jogam menos. Todos estão ligados e eu estou bem. Me preparei para estar bem na reta final e os resultados estão aparecendo".

Já o meia Isco, autor do gol do Real Madrid, celebrou ter sido decisivo à classificação. "Está é uma equipe, o treinador decide e hoje (quarta-feira) coube a mim ser decisivo. Estou contente de ajudar o time", festejou.

O volante brasileiro Casemiro, por sua vez, destacou a qualidade da Juventus. E, apesar de garantir que o time italiano é "muito bom", ele foi claro ao dizer que o Real Madrid precisa se impor. "Uma final não se joga, se ganha. Temos que ganhar e queremos ganhar".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.