Sebastião Moreira / EFE
Sebastião Moreira / EFE

Crucificado após novo vexame do São Paulo, Lucão nega falha em gol

Jovem zagueiro foi escolhido por Rogério Ceni para substituir o suspenso Maicon

Felippe Scozzafave e Paulo Favero, O Estado de S.Paulo

12 Maio 2017 | 11h06

O zagueiro Lucão não consegue se firmar no São Paulo. Após ser muito criticado pela torcida em 2015, principalmente após a derrota por 6 a 1 para o Corinthians, e de ficar afastado praticamente toda a temporada 2016, ele voltou a ter oportunidades no time de Rogério Ceni. Nesta quinta-feira, atuou como titular e acabou sendo apontado como o principal responsável pela eliminação para o Defensa y Justicia na Copa Sul-Americana. Para ele, porém, não houve erro de sua parte no gol do adversário.

"Acho que não foi falha. Foi um lance que a gente trabalhou muito. Não poderia ter passado a bola ali. Aconteceu, temos que seguir em frente", declarou o zagueiro, que furou a bola após o cruzamento de Jonás Gutiérrez que acabou no gol de Castellani.

Para o zagueiro, que foi o escolhido por Rogério Ceni para substituir Maicon, suspenso, o maior problema do São Paulo no jogo foi o excesso de passes errados. "Acho que, quando você perde, é normal ficar cabisbaixo, você não quer perder nunca. Sempre entramos pensando em ganhar, mas nem todos os dias conseguimos executar o que planejamos. Acho que pecamos um pouco nos passes, erramos coisas que não poderíamos ter errado. E isso prejudicou nosso resultado. Agora é continuar trabalhando, temos um longo Campeonato Brasileiro. É seguir em frente", acrescentou o camisa 4, já com a cabeça no Cruzeiro, próximo adversário do São Paulo, no domingo, pelo Campeonato Brasileiro.

Lucas Pratto, atacante contratado a peso de ouro e considerado um dos líderes do elenco, acredita que o momento é de assumir a responsabilidade. "Não conseguimos jogar bem. Todo mundo tem personalidade para jogar aqui. Precisamos jogar bem como time. No São Paulo temos obrigação de brigar pela primeira posição em qualquer torneio", disse, completando com um emblemático "temos de falar um pouco menos e trabalhar mais".

Mais conteúdo sobre:
futebol Copa Sul-Americana Lucão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.