Cruzeiro sonha com Juninho Paulista

O vice-presidente do Cruzeiro, Alvimar Perrella, confirmou nesta terça-feira que o clube está mesmo interessado em contratar o armador Juninho Paulista para o segundo semestre. Embora o atleta tenha vínculo com o Flamengo até junho - podendo ser esticado até agosto, para a disputa da Copa dos Campeões -, o dirigente mineiro informou que um agente autorizado pelo clube, cujo nome não foi revelado, iniciou contatos com o Atletico de Madrid, dono do passe, e com o pai e procurador de Juninho, Osvaldo Giroldo. A intenção do Cruzeiro seria trazer o jogador por seis meses, para a disputa do Brasileiro. Também nesta terça-feira, em entrevista à Rádio Itatiaia de Belo Horizonte, direto do treino da seleção brasileira em Fortaleza, Juninho disse desconhecer o interesse do clube de Minas. Ele ainda ressaltou que, no momento, só pensa em permanecer no Flamengo para ajudar a recuperar a imagem do clube. Para o vice cruzeirense, no entanto, é normal que o jogador pense assim, já que está atuando em um dos clubes de maior tradição do País. Além disso, a transferência para Belo Horizonte seria no segundo semestre, quando já estará encerrado o contrato com o Rubro-Negro. Outro obstáculo à negociação, porém, pode ser um eventual interesse do Atletico de Madri em que Juninho retorne ao clube. Isso acontece com certeza se a equipe espanhola, atual líder da divisão de acesso daquele país, conseguir voltar à primeira divisão. Os dirigentes do Cruzeiro recusaram oficialmente, nesta terça-feira, proposta do Kashima Antlers, do Japão - time dirigido por Zico e treinado pelo ex-meia Toninho Cerezo -, para levar por empréstimo o volante Ricardinho. Os japoneses ofereceram US$ 700 mil para ter o jogador de junho deste ano a maio de 2003. De acordo com Alvimar Perrella, Ricardinho, que não ficou satisfeito com a recusa do Cruzeiro - ele disse que, pela proposta, faria sua independência financeira -, só sai do clube com o passe vendido.

Agencia Estado,

26 Março 2002 | 20h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.