Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Cuca admite escalar Felipe Melo como zagueiro, mas não define volta

Jogador aguarda retorno aos gramados depois de ter sido afastado por críticas ao treinador

Gonçalo Junior, Estadao Conteudo

04 Outubro 2017 | 19h02

O técnico Cuca afirmou que poderá escalar o volante Felipe Melo como zagueiro em um eventual retorno à equipe do Palmeiras. "Um tema que tive de conversar com Felipe foi sobre ser zagueiro, como fez contra o Inter, na Copa do Brasil, e classificamos. Ele foi bem e tem controle da posição, tem comando, liderança. Penso nele, sim, como zagueiro", afirmou o treinador em entrevista coletiva na tarde desta quarta-feira.

Depois de ter sido afastado do elenco do Palmeiras por ter criticado o técnico após a eliminação na Copa do Brasil, o que resultou em um mês de treinamentos em horários separados antes de ser reintegrado, o volante está perto de retornar aos gramados com a camisa do Palmeiras. A volta poderá ser concretizada no jogo-treino desta sexta-feira, diante da equipe sub-20 do Desportivo Brasil. Existe a possibilidade de que seja, inclusive, relacionado para a partida contra o Bahia, no dia 12 de outubro. Cuca abriu a possibilidade, mas não confirmou o retorno. 

"Não sei se vai ter, o que vai acontecer, o que os jogos vão pedir. Mas o Felipe é jogador do Palmeiras, importante para o Palmeiras, não só jogando. Estava nos vestiários sábado dando apoio, ótimo, ganha ponto com companheiros, treinador e todos. Está lá incentivando, apoiando, aconselhando mais jovens. É o que precisamos."

Durante o período de afastamento de Felipe Melo, não surgiram clubes interessados. Como não foi definido um acordo de rescisão, Felipe Melo acabou sendo reintegrado. O clube pretendia evitar qualquer sanção judicial, pois a defesa do jogador chegou a notificar o clube extrajudicialmente alegando assédio moral pelos treinos em horários alternativos.

Cuca minimizou o fato de o Palmeiras ter falhado na meta de alcançar 18 pontos em seis jogos antes da partida contra o líder Corinthians. Com a derrota para o Santos, o clube não conseguiu atingir o objetivo de reduzir a diferença para o primeiro colocado. 

"É errado pegar e falar que vai vencer os 12 (jogos), mas não é errado ter essa ambição. Se falamos que seríamos campeões com 38 jogos e ganhamos, não vou pensar diferente. Se ganharmos 12, chegaremos a 79 pontos. Foi um pecado não ter vencido sábado, todos estariam falando em retrovisor, que o time estava chegando", afirmou o treinador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.