Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Cuca diz que ansiedade atrapalhou o Palmeiras contra o Tucumán

Treinador lamenta erros e culpa nervosismo por excesso de chances perdidas em vitória por 3 a 1 na Libertadores

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

25 Maio 2017 | 07h00

O técnico Cuca, do Palmeiras, culpou a ansiedade para explicar a vitória difícil sobre o Atlético Tucumán, nesta quarta-feira, pela Copa Libertadores, no Allianz Parque. Mesmo com o placar de 3 a 1, o time perdeu muitas chances e deixou o time argentino, inferior tecnicamente, comandar a partida no segundo tempo porque os jogadores ficaram nervosos demais dentro de campo.

O treinador disse ter visto a equipe cometer erros incomuns. "Erramos passes fáceis, por puro nervosismo, por ansiedade. Foi um jogo excelente para narrar, mas para torcer e trabalhar não foi muito bom. Foi frenético demais. Desde o ônibus o time estava ansioso", explicou Cuca, ao enumerar o grande número de finalizações das equipes. Foram cerca de 15 do Tucumán e mais de 20 do Palmeiras, que só confirmou a vitória com um gol nos acréscimos.

"Tínhamos o jogo controlado no primeiro tempo para fazer o segundo, mas em um escanteio eles saíram no contra-ataque e chutaram na trave. Aí o jogo virou, eles cresceram e a gente se perdeu um pouco", lamentou Cuca. O treinador afirmou que pelo nervosismo, dois palmeirenses chegavam a ir na mesma jogada e se atrapalhavam. "Tivemos contra-ataques incríveis, com mais jogadores do que eles. Mas não definíamos o lance", afirmou.

Com a vitória o Palmeiras chegou a 13 pontos e passou às oitavas de final como líder do grupo 5, seguido pelo Jorge Wilstermann, da Bolívia. Os confrontos serão definidos por sorteio nas próximas semanas e o adversário será um dos oito segundos colocados que também avançaram. O primeiro jogo do mata-mata será em julho, com a partida de volta em agosto, no Allianz Parque.

Cuca disse que por ter estreado nesta quarta-feira no comando do time pela Libertadores, o mérito da classificação é do antecessor, Eduardo Baptista. "Eu participei desse jogo só. A classificação é toda do Eduardo e dos jogadores que estavam aqui. Eu sou apenas um pequeno ingrediente, o mérito é todo deles", explicou o palmeirense. Curiosamente, Palmeiras e Atlético-PR podem se enfrentar nas oitavas de final, já que o sorteio não exclui a possibilidade de cruzamento entre times do mesmo país.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.