Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Cuca tira peso do Palmeiras para quebrar tabu no Morumbi: 'Não é nossa culpa'

Técnico afirma que elenco não é o responsável pelos 15 anos sem bater o São Paulo no estádio do rival

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

26 Maio 2017 | 18h07

O Palmeiras encerrou nesta sexta-feira a preparação para enfrentar o São Paulo, neste sábado, pelo Campeonato Brasileiro, com mistério sobre a definição do time e um trabalho para não colocar muita responsabilidade sobre o elenco. O técnico Cuca contou que nas conversas com os jogadores, evita falar do jejum de 15 anos do clube sem vencer no estádio do Morumbi por entender que o tema não é adequado.

O treinador afirmou que o time não pode ser responsabilizado por esse tempo sem vitórias. "Eu estou aqui há um ano, e os jogadores também. Talvez alguns estejam há mais tempo. Se tem esse tempo que não ganha, ter que ser dividido com os outros que passaram aqui. Não é nossa responsabilidade", disse o treinador. A última vitória palmeirense no Morumbi foi o 4 a 2 sobre o São Paulo pelo Torneio Rio-São Paulo de 2002.

Mesmo com um retrospecto recente de quebra de tabus, como fez no ano passado, Cuca descartou que isso traz mais confiança para vencer o São Paulo. "Não existe essa de ir lá no Morumbi e ganhar tranquilo. Existe você se preparar melhor. É muito difícil jogar com o São Paulo em qualquer situação e clássico é um campeonato dentro do campeonato", comentou. Em 2016 a equipe acabou com jejuns de vitórias sobre o Corinthians no Pacaembu, Inter em Porto Alegre, Atlético-PR na Arena da Baixada e Sport, no Recife.

Para Cuca, apesar de o Palmeiras ter investido mais em contratações e viver um momento melhor na temporada, o São Paulo tem a favor atuar como mandante e ter passado por uma semana com menos compromissos, já que enfrentou o Avaí na segunda-feira e desde então, descansou. Já o Alviverde, teve compromisso na quarta-feira, pela Copa Libertadores, diante do Atlético Tucumán.

Por esse motivo a escalação palmeirense será definida com base no desgaste dos jogadores. "Vamos ver o que é melhor. Ainda temos um time indefinido. Quando se joga na quarta e tem outro jogo no sábado, não tem condição de fazer um treino na sexta. O trabalho é mais interno, para analisar desgaste, ouvir jogador e ver vídeos do adversário", afirmou.

O Palmeiras treino nesta sexta com os primeiros 30 minutos sem a presença da imprensa. Após esse período, o elenco realizou um rachão. A provável formação titular deve ter: Fernando Prass; Jean, Mina, Edu Dracena e Zé Roberto; Felipe Melo, Tchê Tchê e Guerra; Róger Guedes, Dudu e Borja.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.