1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Copa 2014

Custo das obras dos estádios da Copa do Mundo salta 263% em seis anos

Diego Salgado - O Estado de S. Paulo

12 Março 2014 | 16h 05

Conta para a adequação das 12 arenas do Mundial passa de R$ 2,2 bilhões para R$ 8,005 bilhões

SÃO PAULO - Sede da Copa do Mundo há mais de seis anos, o Brasil passou longe de cumprir a previsão de gastos dos 12 estádios do torneio. A conta para a adequação das arenas do Mundial saltou de R$ 2,2 bilhões para R$ 8,005 bilhões, um aumento de 263% - ainda com as contas abertas. A última previsão de gastos está na Matriz de Responsabilidades do Governo Federal, revisada e divulgada em setembro de 2013. Já o custo inicial fazia parte de um relatório apresentado à Fifa uma semana antes de o País ser confirmado sede da competição, em outubro de 2007. A estimativa não estava ligada ao Ministério do Esporte e, na ocasião, o número de sedes não estava definido.

Em maio de 2009, quando as 12 cidades-sede foram anunciadas pelo Comitê Organizador Local (COL) e Fifa, o custo previsto passou a R$ 3,67 bilhões. A lista, contudo, não incluía a reforma da Arena da Baixada. A maior diferença em relação ao custo atual ocorre em Porto Alegre - o investimento das obras do Beira-Rio saltou de R$ 60 milhões para R$ 330 milhões. Em São Paulo, a mudança do Morumbi para a Arena Corinthians representou um aumento de 355% na conta: de R$ 180 milhões para R$ 820 milhões.

Em janeiro de 2010, o Governo divulgou a primeira Matriz de Responsabilidades, documento assinado pelo então ministro do Esporte, Orlando Silva, além dos governadores e prefeitos. A conta, àquela altura, já previa um gasto de R$ 5,46 bilhões, com acréscimo de 47% em relação à conta atual. As obras do Maracanã, por exemplo, custariam R$ 600 milhões. O estádio, reinaugurado em abril de 2012, saiu por R$ 1,05 bilhão - acréscimo de 75%.

O Mané Garrincha, em Brasília, seguiu a mesma linha, passando de R$ 600 milhões (em maio de 2009) para R$ R$ 745 milhões (janeiro de 2010). A conta final do estádio chegou a R$ 1,4 bilhão. Neste caso, o aumento cresceu 130%, incluindo todas as licitações para a construção do estádio que foi palco da abertura da Copa das Confederações, vencida pelo Brasil.

ROMÁRIO

Nesta quarta-feira, o deputado federal Romário (PSB-RJ) não poupou críticas à Fifa e à organização da Copa do Brasil. De acordo com o ex-jogador, muitas obras estão em fase emergencial, após atrasos recorrentes no cronograma. "As licitações não devem ser mais daquelas formas burocráticas, para que o dinheiro entre (logo). Uma coisa que custaria 20 vai custar 60", acusou.

A 92 dias da Copa do Mundo, três estádios ainda não foram concluídos: Arena da Baixada, Arena Corinthians e Arena Pantanal. Nove estão prontos, mas apenas dois, Castelão e Mineirão, foram entregues no prazo correto (dezembro de 2012). O atraso marcou a construção dos outros estádios. O Mané Garrincha e a Arena Pernambuco, por exemplo, foram inaugurados a menos de um mês da abertura da Copa das Confederações. O mesmo pode ocorrer com os últimos três estádios do Mundial. A Fifa deu prazo para que o estádio do Corinthians seja entregue dia 15 de maio, no último prazo.

MUDANÇA NO CUSTO DOS ESTÁDIOS

MAIO DE 2009

JANEIRO DE 2O1O

SETEMBRO DE 2013

Copa 2014