1. Usuário
Assine o Estadão
assine
Copa 2014

De Rossi reclama de jogo da Itália às 13h em Recife

Luís Augusto Monaco - enviado especial a Mangaratiba - O Estado de S. Paulo

17 Junho 2014 | 17h 49

O volante italiano lamentou o calor que irá enfrentar em Recife, mas lembrou que na Itália joga em lugares bem frios em janeiro

O volante italiano De Rossi gostaria que os dirigentes do futebol mundial levassem mais em conta a saúde dos jogadores na hora de decidir os horários das partidas. Ele disse nesta terça-feira que jogar às 13 horas em Recife, contra a Costa Rica, na sexta-feira, pela segunda rodada da Copa do Mundo, será muito difícil.

"Infelizmente, as pessoas que decidem essas coisas colocam outros interesses em primeiro plano, principalmente os da emissoras de tevê. Jogar às 13 horas no calor do Brasil não é bom, mas na Itália temos de jogar em Verona no mês de janeiro, que é muito frio, às 21 horas e com gelo sobre o campo. Fazer o quê? Temos de aceitar essas coisas e ir em frente", disse o volante.

Em sua opinião, o nível do espetáculo sai prejudicado em partidas disputadas sob calor tão intenso. "O jogo fica mais lento, os jogadores se desgastam muito e ficam mais sujeitos a erros, porque o cansaço físico faz com que fique mais difícil manter a concentração. Vimos pela tevê alguns jogos do Mundial que começaram às 13 horas e deu para perceber a dificuldade dos jogadores", afirmou De Rossi.

Ettore Ferrari/EFE
De Rossi reclamou do horário do jogo entre Itália e Costa Rica em Recife

Ele citou durante a entrevista o sufoco que a Itália passou no Recife no jogo contra o Japão pela Copa das Confederações (vitória por 4 a 3, no ano passado). "Saímos mortos daquela partida, e olha que foi à noite. Depois jogamos em Salvador contra o Uruguai às 13 horas e quase morremos de novo", lembrou. Por isso, De Rossi espera que o árbitro conceda paradas técnicas sexta-feira para os jogadores poderem se hidratar. "Será importante o jogo parar dois minutos em cada tempo para tomarmos água. É uma questão de bom senso."

Na coletiva, ele também falou sobre como está se sentindo no Brasil. E fez uma declaração entusiasmada. "O povo brasileiro é fantástico, estamos tendo uma acolhida maravilhosa. Acho que este é o Mundial mais alegre e mais bonito que já houve", avaliou um dos titulares da seleção italiana.

Copa 2014