John Sibley/Reuters
John Sibley/Reuters

De volta ao Estádio da Luz, Mourinho exalta brasileiro: 'Sempre admirei'

Treinador do Manchester United, que enfrenta o Benfica, elogia o zagueiro Luisão

Estadão Conteúdo

17 Outubro 2017 | 16h38

José Mourinho voltará nesta quarta-feira ao Estádio da Luz, onde iniciou a carreira de técnico. Atual comandante do Manchester United, ele viverá seu primeiro reencontro oficial com o Benfica desde que deixou Portugal em 2004, válido pela Liga dos Campeões. E como não poderia deixar de ser, a volta para o lugar em que tudo começou, após 17 anos, deixou o treinador balançado.

+ Procuradoria de Madri acusa Marcelo de sonegar R$ 1,82 mi em impostos

Mourinho falou nesta terça sobre seu período no Benfica e não poupou elogios ao clube, em especial a um jogador que chegou a enfrentar quando comandava o Porto. O treinador não escondeu a admiração pelo zagueiro brasileiro Luisão, que tem 14 anos e mais de 500 partidas com a camisa da equipe portuguesa.

"Ele chegou na minha última temporada em Portugal. Acho que é uma carreira única, ou quase única, com tantos anos no mesmo país, no mesmo futebol. Não tentei levá-lo para o Chelsea, mas foi um jogador que sempre admirei pela consistência, pelo número quase interminável de jogos que realiza por temporada, pelo espírito e pela lealdade e paixão ao Benfica e a Portugal", disse Mourinho.

O treinador ainda opinou e avaliou que o jogador de 37 anos deveria encerrar a carreira no Benfica. "Li qualquer coisa sobre o irmão dele na imprensa portuguesa, dizendo que acha que ele (Luisão) deve acabar a carreira no Benfica. Também acho que deve e que vai. É um caso único e a carreira dele é bonita, honestamente."

Se Luisão está há 14 anos no Benfica, Mourinho não acredita que permanecerá tanto tempo no Manchester. Mais do que isso, o treinador opinou que a época de treinadores passando longos períodos em um clube, como Alex Ferguson na próxima equipe inglesa, ficou para trás.

"Isso de um técnico ficar 15, 20 anos em um clube está acabado", considerou. "Se, neste momento, eu quisesse terminar minha carreira em dois, três, quatro ou cinco anos, eu diria que sim, quero terminar minha carreira no Manchester United. Mas ainda quero treinar por 15 anos, no mínimo."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.