Sérgio Castro/Estadão
Sérgio Castro/Estadão

De volta ao Palmeiras, Cuca dorme no CT e tem a defesa como desafio

Técnico precisa resolver problemas no time para voltar a ter o mesmo rendimento do ano passado

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

10 Maio 2017 | 07h00

Os cinco meses de intervalo entre a saída e o retorno do técnico Cuca ao Palmeiras serviram para deixar a missão de comandar o time ainda mais difícil. O treinador não demorou muito para admitir, durante a entrevista coletiva desta terça-feira, que a expectativa do clube por títulos complica o trabalho para 2017 e coloca pressão para resolver os problemas do time.

O técnico palmeirense vai ficar nesses primeiros dias hospedado na própria Academia de Futebol. Cuca gostou da nova estrutura, inaugurada em janeiro, e escolheu o local como dormitório desde a noite de segunda, quando deixou Curitiba e veio dirigindo até São Paulo.

Cuca deixou de lado os cinco meses de descanso em Curitiba, junto com a família, com o objetivo de repetir o que fez no ano passado. Em março de 2016, o treinador assumiu um Palmeiras em má fase, perdeu os quatro primeiros jogos e acabou a temporada como ídolo da torcida, ao encerrar o jejum de 22 anos sem o título do Campeonato Brasileiro. Agora, retorna para trabalhar em um elenco reforçado por dez jogadores diferentes em comparação ao grupo que deixou.

O primeiro desafio para Cuca será recuperar o ponto forte da equipe de 2016. O Palmeiras teve a melhor defesa do Brasileiro, com 32 gols sofridos, e sofre com a queda de rendimento no setor. Este ano, já foram 20 gols tomados, oito deles em cinco jogos da Libertadores.

O time titular teve três mudanças significativas neste ano. O meia Cleiton Xavier e o atacante Gabriel Jesus têm como sucessores Guerra e Borja, dupla que ainda não rendeu o esperado. Machucado, Moisés tem como substituto o volante Felipe Melo, presente na seleção do Campeonato Paulista.

Junto com a diretoria, Cuca vai analisar a necessidade de reforços e terá como atenção as laterais. Para esse setor o elenco conta apenas com um reserva imediato para cada posição. Outra pendência é ajudar atletas que foram importantes em 2016, têm a confiança de Cuca, mas foram pouco utilizados neste ano. São os casos do zagueiro Vitor Hugo e do atacante Alecsandro. Ambos receberam sondagens de outras equipes.

Na tarde de terça-feira, o treinador comandou o primeiro trabalho com o elenco. A atividade não teve a presença de Fernando Prass, poupado por estar com dores. Para a estreia dele no cargo, no domingo, a torcida já comprou até a tarde de terça-feira 24 mil ingressos. A partida no Allianz Parque será contra o Vasco, pelo Campeonato Brasileiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.