Deficiente quer esquecer preconceito

O lateral-esquerdo do Botafogo de Ribeirão Preto, Wayne Raphael Dantas Araújo, de 15 anos, do time Sub-15, quer esquecer a discriminação sofrida no sábado passado, quando o árbitro Jenkins Barbosa dos Santos reverteu três cobranças de arremesso lateral, por não ter a mão esquerda, e continuar a sua carreira. "Só quero continuar jogando e espero não ter mais esse tipo de problema", diz Wayne. O caso rendeu um boletim de ocorrência na polícia e a dura crítica do diretor da Escola de Arbitragem da Federeção Paulista de Futebol (FPF), Gustavo Caetano Rogério. Wayne diz que se sentiu discriminado durante o jogo, contra o Comercial, e que o time botafoguense ficou abalado. "Durante o jogo fiquei sem reação, pois nunca tinha ocorrido isso em oito anos de futebol", lembra o jogador, que não mais cobrou arremessos laterais. "Outros jogadores, que não são da função, tiveram que fazer isso.? As três reversões seguidas foram marcadas após Wayne ter feito duas cobranças normalmente. Na segunda, ele disse que o jogador não poderia fazer porque não tinha uma das mãos. Ele avisou o técnico Zito, que falou com o representante. Aí, Zito pediu que fizesse outra cobrança. Nova reversão. Zito revoltou-se, entrou em campo e foi expulso. "Disputei duas competições, em julho, na Irlanda do Norte e na Inglaterra, e fui elogiado pelos juízes, inclusive da Premier League", afirma Wayne, que é líder e capitão do Botafogo em sua categoria. Seus companheiros ficaram indignados e o apoiaram. Lamenta a falta de sensibilidade do árbitro Jenkins dos Santos, mas quer deixar o fato para trás, sem pedir indenização financeira pela discriminação. Quer só jogar. Gustavo Rogério disse que Santos agiu de forma errada, pois, com o auxílio do braço esquerdo (que não tem apenas a mão), Wayne poderia cobrar o arremesso, desde que coloque a bola em ação soltando-a ao mesmo tempo. Isso não é reversão. Rogério informou ainda que o árbitro é inexperiente, está em formação e que o caso servirá de exemplo.

Agencia Estado,

21 Agosto 2002 | 17h13

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.