Botafogo/Site oficial
Botafogo/Site oficial

Demitido como técnico, Felipe Conceição poderá seguir no Botafogo em nova função

Ex-treinador tem chance de permanecer no clube após derrota para o Flamengo

Estadão Conteúdo

11 Fevereiro 2018 | 17h22

A rápida passagem de Felipe Conceição pelo comando do Botafogo se encerrou no último sábado, quando foi demitido logo após a derrota por 3 a 1 para o Flamengo, em Volta Redonda, pela semifinal da Taça Guanabara, o primeiro turno do Campeonato Carioca. Não está descartada, porém, a possibilidade de o técnico seguir no clube em outra função.

+ Com gol de Dourado na estreia, Flamengo vence Botafogo e vai à final

Ex-auxiliar de Jair Ventura, que assumiu o comando do Santos após o final da temporada passada, Felipe Conceição vai se reunir com a diretoria do Botafogo na próxima terça, quando definirá o seu futuro. A possibilidade de o profissional seguir trabalhando para o clube foi confirmada pelo gerente de futebol Anderson Barros, em entrevista coletiva concedida no estádio Raulino de Oliveira após a eliminação alvinegra.

"O Felipe tem uma história dentro do clube, como atleta, como profissional. Infelizmente as coisas não aconteceram (como técnico do time principal). Eu disse a ele neste momento que estaríamos conversando para que tomássemos a melhor decisão. Há uma série de variáveis que podem acontecer ao Felipe, assim como seu auxiliar (Fabrício Vasconcellos). Mas preferimos decidir com calma durante a semana", afirmou o dirigente, que em seguida enfatizou: "A única decisão que nós temos é que ele não é mais o comandante da equipe principal".

Após a derrota para o Flamengo no último sábado, Felipe Conceição preferiu ir embora de Volta Redonda sem falar com a imprensa e chegou a se despedir dos funcionários do clube que estavam no estádio.

A permanência do treinador no clube em outra função também pode ser vantajosa para o Botafogo no aspecto financeiro, pois o contrato que assinou como técnico do time profissional tem uma multa rescisória, cujo valor é equivalente a três salários do treinador. Ele foi demitido após apenas 37 dias ocupando o cargo.

Mais conteúdo sobre:
futebol Botafogo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.