1. Usuário
Assine o Estadão
assine
Futebol Internacional

Di María dá show e a Argentina dá o troco na Alemanha em amistoso

Estadão Conteúdo

03 Setembro 2014 | 17h 52

Ausente na final da Copa do Mundo, meia anota um gol e dá assistência para outros três na vitória por 4 a 2 em Dusseldorf

Melhor jogador do meio-campo da Argentina, Di María não participou da final da Copa, machucado. Nesta quarta-feira, na revanche disputada de maneira amistosa em Dusseldorf, na Alemanha, o astro que hoje defende o Manchester United foi à forra. Com uma atuação memorável, deu três assistências e fez um gol na vitória incontestável por 4 a 2, carimbando a faixa da Alemanha na primeira partida de Tata Martino como treinador da seleção argentina.

Di María, então jogador do Real Madrid, foi decisivo na classificação às quartas de final da Copa, marcando no finalzinho do segundo tempo da prorrogação contra a Suíça, mas sofreu um estiramento na coxa direita no primeiro tempo do jogo contra a Bélgica, na rodada seguinte. Por conta da lesão, não jogou mais o Mundial e viu, do banco de reservas, a Alemanha ser campeã no Maracanã.

Nesse meio tempo, mostrou descontentamento no Real Madrid e foi vendido ao Manchester United. Nesta quarta, voltou a jogar pela Argentina, sem a companhia de Messi, machucado. Do outro lado, a Alemanha passava longe de ser a mesma da Copa. Entre os titulares, só Neuer, Schürrle, Kroos e Höwedes, além de Reus, que jogaria o Mundial se não tivesse se machucado antes do torneio.

Patrick Stollarz/AFP
Di María teve apresentação de gala em Düsseldorf

Logo com 7 minutos, Mario Gomez ficou cara a cara com Romero e chutou em cima do goleiro. O gol perdido custaria caro e Di María não tardaria a começar o show. Aos 20, o meia deu assistência perfeita, de três dedos, para Agüero marcar. Depois, aos 39, cruzou para Lamela, que bateu de primeira e mandou no ângulo.

No comecinho do segundo tempo, Di María bateu falta e colocou na cabeça de Federico Fernández. O meia, até então garçom, fez o dele aos 5 minutos, quando recebeu bom passe de Mascherano e saiu na cara de Neuer e deu um leve toque na bola para encobrir o goleiro. A Alemanha ainda conseguiu evitar um vexame. Aos 6, marcou com Schürrle. No finalzinho aos 32, fez o segundo com o herói do tetra, Götze, que entrou no segundo tempo.

Futebol Internacional

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo