Nelson Perez/Fluminense
Nelson Perez/Fluminense

Diego Cavalieri admite pressão e pede equipe precavida no clássico

Fluminense tem de reverter placar de 1 a 0 contra o Flamengo pela Sul-Americana

Estadão Conteúdo

30 Outubro 2017 | 17h38

O Fluminense voltou a decepcionar sua torcida ao ficar apenas no empate por 1 a 1 com o Bahia no último domingo, no Maracanã, pelo Campeonato Brasileiro. Os tricolores presentes no estádio manifestaram a insatisfação com vaias e esquentaram o clima para o clássico decisivo de quarta-feira diante do Flamengo, pelas quartas de final da Copa Sul-Americana.

+ Abel admite queda na confiança, mas cobra reação para o Fla-Flu

"A pressão vem aumentando, e passar de fase em um jogo desse porte traz alívio. Se a vaga não vier, no sábado já temos outra pedreira. É um mês de decisão. Precisamos de luta, equilíbrio e consciência de que temos de sair desse quadro", declarou o goleiro Diego Cavalieri nesta segunda-feira.

No jogo de ida diante do rival, o Fluminense perdeu por 1 a 0 no Maracanã, como mandante. Por isso, o time tricolor precisa vencer nesta quarta-feira se quiser seguir na competição sul-americana. Mas Diego Cavalieri não quer saber de desespero na hora de atacar e alertou para os problemas que um gol sofrido traria.

"Na situação que a gente vive na tabela do Brasileiro, tomar um gol dá uma instabilidade, muda a estratégia, o adversário também muda. Você tem que se expor e tentar reverter o quadro. Situações que ocorreram nesses últimos dois jogos servem de aprendizado e em um mata-mata, são 90 minutos que precisamos estar concentrados do início ao fim", considerou.

Se também não vive grande momento, o Flamengo tem a seu favor uma fase bem melhor do que a do rival e a vantagem obtida no primeiro jogo. "São momentos diferentes, as equipes vivem momentos distintos e eles têm a vantagem. Se trata de um grande elenco, um grande time, sempre impôs bastante dificuldade, mas a gente tem que trabalhar para tirar essa vantagem, temos a consciência de que uma vitória nos serve para avançar e é em cima disso que vamos em busca na quarta-feira", avaliou Cavalieri.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.