John Thys/AFP
John Thys/AFP

Diego Costa se vê perseguido na Espanha e rebate críticas após vitória da seleção

Brasileiro naturalizado espanhol acha que se jogasse por Real Madrid ou Barcelona seria considerado um dos melhores da seleção

Estadão Conteúdo

02 Setembro 2016 | 10h25

Brasileiro naturalizado espanhol, Diego Costa teve boa atuação pela Espanha na vitória por 2 a 0 sobre a Bélgica, nesta quinta-feira, em Bruxelas, e aproveitou a entrevista coletiva que concedeu após o amistoso para desabafar contra os críticos da imprensa espanhola ao seu futebol.

Após começar no banco de reservas, o atacante entrou em campo ainda na etapa inicial após Alvaro Morata se lesionar. Ele participou diretamente da jogada do primeiro gol diante dos belgas, dando o passe para David Silva marcar, assim como ajudou a equipe em outras ações ofensivas no confronto.

De comportamento explosivo em campo em muitas ocasiões, Diego Costa acredita ser perseguido pela imprensa espanhola também por não atuar ou ter jogado com as camisas dos dois principais clubes da Espanha. "Eles (jornalistas) me criticam muito e, se eu jogasse por Real Madrid ou Barcelona, seria um espanhol naturalizado que eles diriam ter um bom jogo, possivelmente o melhor para a seleção", afirmou o jogador.

Diego Costa, porém, vem dando motivos para as críticas desde que se naturalizou espanhol e consequentemente abriu mão de defender a seleção brasileira. Ele marcou apenas um gol em 11 partidas pela Espanha, pela qual atuou sem nenhum sucesso na Copa do Mundo de 2014, no Brasil, onde os então atuais campeões mundiais foram eliminados ainda na primeira fase.

A falta de gols, entretanto, foi deixada em segundo plano pelo atacante do Chelsea ao comentar a sua atuação diante da Bélgica. "Eu não marquei, mas posso ser útil para a equipe. Eu participei muito do jogo e saio daqui feliz, ao contrário de outros jogos", afirmou, reconhecendo que não vinha tendo um bom rendimento com a camisa da seleção.

"Não fiz grandes coisas pela Espanha, não posso mentir, mas quando eu jogo bem eles (da imprensa) deveriam dizer que joguei bem", completou o jogador, que tem enfrentado problemas disciplinares no Chelsea, sendo que chegou a ser suspenso por três jogos no ano passado por "conduta violenta" em uma jogada na qual teria pisado de forma intencional em Emre Can, do Liverpool. "Eles (jornalistas) me criticam pelo meu caráter, mas eu também tenho qualidade", reclamou.

Diego Costa desabafou contra as críticas antes de a Espanha estrear nas Eliminatórias Europeias da Copa do Mundo de 2018, segunda-feira, contra Liechtenstein, em casa, onde espera poder ter chance de encerrar o seu jejum de gols. "Uma nova era começou. Eu tenho fé em meus companheiros de seleção. Ficaria mais preocupado se não tive chances de marcar, mas a equipe está criando oportunidades e isso é bom. Vou marcar gols em breve", aposta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.