Ricardo Stuckert / CBF
Ricardo Stuckert / CBF

Diego é cortado da seleção brasileira poucas horas após se apresentar

Com dores na coxa esquerda, meia do Flamengo não enfrenta Bolívia e Chile, pelas Eliminatórias Sul-Americanas

Marcio Dolzan / TERESÓPOLIS, O Estado de S.Paulo

03 Outubro 2017 | 15h53

O meio-campista Diego, do Flamengo, foi cortado da seleção brasileira na tarde desta terça-feira, 3, poucos horas após se apresentar na Granja Comary, em Teresópolis. O jogador, que enfrentou a Ponte Preta na noite de segunda-feira, reclamava de dores na coxa esquerda.

"Realizamos exame de imagem e confirmamos uma pequena lesão muscular que o impede de participar do período de convocação", informou o médico da seleção, Rodrigo Lasmar.

+ CBF opta por inédito transporte de helicóptero 'para evitar desgaste de atletas'​

A seleção brasileira enfrenta a Bolívia na quinta-feira, em La Paz, e depois fechará a sua campanha nas Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo de 2018 no próximo dia 10, quando enfrenta o Chile, no Allianz Parque, em São Paulo.

Esse foi o terceiro corte de jogadores para os dois últimos jogos do Brasil pelas Eliminatórias. Antes, os laterais-esquerdos Marcelo e Filipe Luís acabaram sendo desconvocados também por motivo de lesão - foram substituídos por Alex Sandro e Jorge. Desta vez, porém, o técnico Tite não chamará ninguém para a vaga aberta pela ausência de Diego.

O corte da seleção brasileira confirmado nesta terça-feira fechou uma série de acontecimentos ruins para Diego em um período de apenas seis dias. Na última quarta, no jogo de volta da final da Copa do Brasil, no Mineirão, ele desperdiçou um pênalti na disputa derradeira com o Cruzeiro em erro que se tornou fatal para que o time mineiro ficasse com o título.

Depois, nesta segunda-feira, ele se machucou na partida em que o Flamengo foi derrotado por 1 a 0 pela Ponte Preta, em Campinas, para em seguida acabar ficando fora dos dois últimos compromissos do Brasil nas Eliminatórias da Copa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.