1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Copa 2014

Dilma não fará pronunciamento na abertura da Copa

Jamil Chade - O Estado de S. Paulo

12 Junho 2014 | 11h 57

O presidente da Fifa Joseph Blatter também não falará na cerimônia de abertura do evento, que contará com poucos chefes de estado

A presidente Dilma Rousseff não vai tomar a palavra quando estiver no estádio em São Paulo hoje para a abertura da Copa do Mundo. A declaração de que o evento está oficialmente aberto será feito em uma cerimônia com jovens no meio do gramado.

Dilma assistirá à abertura da Copa, uma festa que vai custar R$ 18 milhões. A Fifa garantiu que é ela quem está pagando pela cerimônia. 

Essa é a primeira Copa em anos que não é aberta oficialmente pelo chefe de estado do país sede. Em 2013, a Copa das Confederações viu uma ampla vaia quando Dilma tentou fazer seu discurso em Brasília.

Evaristo Sá/AFP
Vaiada na Copa das Confederações, Dilma não se pronuncia nesta quinta

Joseph Blatter, presidente da Fifa, também não falará. "Como ele pode falar se Dilma não fala", declarou Walter de Gregorio, diretor de Comunicação da Fifa.

Dilma, em reunião com jornalistas, indicou que foi Blatter quem a pediu para não falar. Mas a Fifa insiste que a decisão foi "compartilhada".  

A abertura da Copa do Mundo terá uma presença fraca de chefes de estado. Segundo o Palácio do Planalto, apenas oito presidentes ou vice-presidentes aceitaram o convite feito por Dilma Rousseff a todo o mundo e estarão em Itaquera.

A presidente brasileira receberá a presidente do Chile, Michelle Bachelet, Evo Morales da Bolívia, Rafael Correa do Equador, José Eduardo dos Santos de Angola, além dos presidentes do Paraguai e Suriname. Da África virão o chefe de estado do Gabão e o vice-presidente de Gana. O secretário-geral da ONU, Ban Ki Moon, também estará presente.

Para toda a Copa, serão 19 chefes-de-estado. "Muita gente tinha anunciado, mas não foram confirmados", declarou Olimpio Cruz, assessor do Palácio do Planalto.

No total, 150 "convidados muito especiais" estão sendo aguardados, como ministros e personalidades. Outros 1,3 mil convidados também estarão no local.  

No estádio, a Fifa informou que a capacidades final da Arena ficou em 62,6 mil assentos. Há apenas uma semana, a Fifa havia indicado que a capacidade seria de 61,6 mil. A diferença, segundo a entidade, foi resultado de "ajustes na infra-estrutura". O estádio receberá 1,5 mil jornalistas.

Copa 2014