1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Dilma Rousseff diz que Museu é homenagem do governo ao Rei Pelé

AE - Agência Estado

15 Junho 2014 | 12h 09

Presidente afirmou que, com a obra em Santos, a sociedade perpetua a memória de 'um de nossos mais ilustres cidadãos'

Em mensagem exibida na inauguração do Museu Pelé, na cidade de Santos, na manhã deste domingo, a presidente Dilma Roussef afirmou que, com a obra, a sociedade perpetua a memória de "um de nossos mais ilustres cidadãos", que as novas gerações merecem conhecer. Ela destacou que a inauguração ocorre justamente em meio à realização da Copa do Mundo no Brasil, torneio que transformou Edson Arantes do Nascimento no conhecido Pelé.

Ela destacou os 1.281 gols marcados por ele, o maior artilheiro da história do Santos. "O número de gols impressiona, mas, como dizia Carlos Drummond de Andrade, difícil não é fazer mil gols como Pelé. É fazer um gol como Pelé." De acordo com Dilma, além das jogadas geniais, ainda era generoso com os companheiros, pois os colocava na "cara do gol".

A presidente o classificou ainda como o atleta de todos os tempos, a representação de alguém que superou preconceitos em uma época em que a oportunidade para um menino negro e pobre eram muito menores do que são hoje. "Esta é uma justa homenagem que meu governo e a sociedade brasileira prestam a você."

Nelson Antoine/AP
Museu Pelé conta a vida do Rei em detalhes, com vídeos, fotos e outros registros

Dilma era esperada no evento, mas cancelou sua ida na tarde de ontem, e encaminhou a mensagem em vídeo, que foi exibida no local. Ela também participaria de encontro do PT na capital paulista, neste domingo, para o lançamento oficial da candidatura do ex-ministro Alexandre Padilha ao governo de São Paulo, mas preferiu permanecer em Brasília para se preparar para o encontro com a chanceler alemã, Angela Merkel, nesta noite.

O vice-presidente da República, Michel Temer, representou a presidente. Também participam o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), o ex-governador de São Paulo José Serra (PSDB), o prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa (PSDB), o presidente do BNDES, Luciano Coutinho, o ministro do Esporte, Aldo Rebelo e a ministra da Cultura, Marta Suplicy.