Paulo Fernandes/Vasco
Paulo Fernandes/Vasco

Dirigente do Vasco nega desejo de negociar Nenê: 'Seria uma decisão dele'

Gerente de futebol, contudo, admite que o jogador desperta o interesse de outros clubes

O Estado de S.Paulo

25 Maio 2017 | 14h26

Ídolo da torcida do Vasco e destaque do time em temporadas recentes, Nenê acabou relegado ao banco de reservas no último compromisso do time, a vitória sobre o Bahia. A situação até então pouco usual provocou rumores de que o jogador poderia estar fora dos planos do técnico Milton Mendes, mas a diretoria garante que não cogita negociá-lo.

Em entrevistas coletiva concedida nesta quinta-feira, o gerente de futebol do Vaco, Anderson Barros, garantiu que o clube não possui o interesse em liberar Nenê do seu contrato, como o clube fez recentemente com o zagueiro Rodrigo, hoje na Ponte Preta. Ele admitiu, porém, que Nenê desperta o interesse de outros clubes, embora tenha destacado que uma negociação só ocorrerá se esse for o interesse do jogador.

"O Nenê é ídolo do clube, respeitado eternamente. Qualquer decisão sobre ele nunca vai partir do Vasco. Ele continua trabalhando normalmente. Está no banco por uma decisão técnica, do treinador. Decisão que cabe a qualquer técnico. Ele chama atenção (dos clubes). Tem relevância técnica, profissional. Ele não chama atenção só do São Paulo, mas de muitos outros clubes. O Vasco conta com ele. Qualquer coisa contrária seria uma decisão que parte dele", disse.

O dirigente confirmou que apenas detalhes impedem o Vasco de oficializar a contratação do zagueiro Lucas Rocha, do Boavista. "O Lucas é jovem, pode preencher uma lacuna no nosso planejamento. Semana passada demos prioridade para regularização do Paulão e do Breno. Agora estamos tratando do Lucas Rocha, que vem por empréstimo do Boavista. Só precisamos realizar os últimos detalhes", afirmou.

Já a "novela" envolvendo a contratação do volante Bruno Paulista ainda vai demorar um pouco mais para ser concluída, embora Anderson Barros tenha assegurado que o impasse envolvendo a sua liberação pelo português Sporting será resolvida assim que a janela de transferências internacionais for reaberta.

"Precisamos respeitar a janela de transferências. A primeira tentativa foi em fevereiro, estava no cronograma, mas encontramos problemas. Entendemos que ele vai nos ajudar. Por isso a nossa paciência. Só dependemos do encaminhamento do Bahia. A partir da nona rodada pretendemos contar com ele", disse.

Anderson Barros também evitou comentar a possibilidade de o Vasco contratar o zagueiro Anderson Martins e o lateral-esquerdo Ramon, mas deu uma boa notícia ao torcedor. De acordo com o dirigente, o clube está próximo de anunciar a renovação do contrato do volante Douglas.

"O contrato atual já nos dá uma proteção, mas estamos tratando da renovação até para reconhecer isso. Já tivemos consultas sobre negociação, mas para o Vasco tomar uma decisão tem que ser extremamente positiva. A multa nos dá tranquilidade para continuar o projeto. Não tenho o número específico. Medo de perder não temos, já que a decisão final é do clube", comentou.

Mais conteúdo sobre:
Futebol futebol Vasco Nenê

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.