Miguel Schincariol/AFP
Miguel Schincariol/AFP

Dorival ataca CBF e vê brasileiros 'desamparados' na Libertadores

Treinador usa problemas de Palmeiras e Chapecoense na competição para justificar afirmação

Estadão Conteúdo

24 Maio 2017 | 11h02

As punições impostas pela Conmebol a Palmeiras e Chapecoense durante a fase de grupos da Copa Libertadores expuseram o que o técnico Dorival Júnior classificou como "desamparo" aos times brasileiro em relação à entidade continental pela CBF. Foi essa a avaliação realizada pelo treinador santista na noite da última terça-feira, quando o seu time encerrou a sua participação na fase de grupos com uma goleada por 4 a 0 sobre o Sporting Cristal, na Vila Belmiro.

"A CBF não se posiciona há muito tempo, os clubes brasileiros são desprotegidos e desamparados em todos os aspectos e isso gera essas questões. As pessoas querem comandar sem exercerem as suas funções. Acaba acontecendo o que acontece quando atuamos fora do País. A entidade que teoricamente teria que comandar e nos amparar está sem condições de fazê-lo", reclamou.

Por confusão em partida contra o Peñarol, o volante Felipe Melo foi suspenso por seis jogos, pena maior do que a imposta para jogadores do time uruguaio. Além disso, o Palmeiras não poderá contar com sua torcida em três jogos como visitante na Libertadores, enquanto o Peñarol fará uma partida como mandante com os portões fechados. Já a Chapecoense foi punida com um placar de 3 a 0 favorável ao Lanús em jogo que havia vencido por 2 a 1 por causa da escalação irregular do zagueiro Luiz Otávio.

Diante desse cenário, Dorival avaliou que a CBF não defende e representa os clubes brasileiros de forma apropriada na Conmebol, o que causa prejuízos aos times. Para isso, lembrou que o Santos teve jogadores expulsos em dois dos três jogos que fez como visitante na fase de grupos da Libertadores - Jean Mota, contra o Independiente Santa Fe, e Bruno Henrique, diante do The Strongest.

"Dependemos exclusivamente das nossas forças. Nas três partidas fora de casa, fomos muito prejudicados pela arbitragem. Tivemos um espírito mais do que guerreiro para buscar os resultados. Mas até quando teremos essa força? Só Deus sabe. Mas estamos totalmente desamparados e desprotegidos", concluiu.

Com 12 pontos em seis jogos, o Santos fechou a sua participação no Grupo 2 da Libertadores em primeiro lugar. O seu adversário nas oitavas de final será determinado através de sorteio marcado para 14 de junho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.