Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Esportes

Esportes » Dorival vai avaliar mais os jovens pensando na perda de Lucas Lima

Futebol

Mauro Horita|Divulgação

Dorival vai avaliar mais os jovens pensando na perda de Lucas Lima

Técnico sabe que pode ficar sem o meia e já 'treina' um substituto

0

Fábio Hecico,
O Estado de S. Paulo

13 Março 2016 | 07h00

É bem estranho, mas Dorival Junior até gostou de jogar sem Lucas Lima no Pacaembu. Na ausência de seu cérebro do Santos em campo, ele pôde observar outras peças para a posição. Não apenas na partida diante do Água Santa, mas também nos trabalhos da semana. ‘Achar’ um substituto no elenco se faz necessário pela exposição do camisa 20 no futebol mundial, que dificilmente não será assediado na reabertura da janela no meio do ano.

“Temos de pensar lá na frente, preparando possíveis substituições (no elenco) caso elas venham a acontecer. Minha torcida é que não aconteça (negociação de Lucas Lima), porém sabemos que na reabertura da janela as equipes brasileiras serão atacadas.”

Rafael Longuine, Serginho, Paulinho, todos são candidatos para assumir a armação em caso de adeus de Lucas LIma (não que isso venha a acontecer). E Dorival quer vê-los em ação para não ter de improvisar na hora do aperto. Há, ainda, o fato de Lucas ter de servir a seleção brasileira e perder alguns confrontos.

“Com o Lucas o time teria ganho em alguns aspectos, mas temos boas opções, que estão começando a crescer, ganhar corpo no grupo e serão importante em momentos decisivos”, enfatizou o técnico, sem citar nomes individualmente. “Fico satisfeito pelo trabalho de uma equipe por trás desses jogadores, não é algo isolado de um atleta.”

Longuine sabe que pode ser utilizado com mais frequência e nem pensa em escolher lugar. “Brigo pela posição que o professor achar melhor para me utilizar”, disse. “Nosso grupo é bem tranquilo e ele fala que todos vão ter oportunidade, o ano é longo, e cabe a nós que não estamos jogando, ter de fazer por onde para quando entrar aproveitar da melhor forma possível”, observou. “Também sei jogar pelas pontas, sempre procuro ter movimentação e não vejo dificuldades em atuar aberto.”

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.