Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Esportes

Esportes » Dunga minimiza má atuação e comemora vontade dos jogadores

Futebol

Esportes

futebol

Dunga minimiza má atuação e comemora vontade dos jogadores

Treinador nega improviso no meio e ironiza críticas

0

Daniel Batista, enviado especial a Assunção,
O Estado de S.Paulo

30 Março 2016 | 07h27

O técnico Dunga deixou o gramado do estádio Defensores del Chaco, em Assunção, comemorando o empate por 2 a 2 com o Paraguai como se fosse uma vitória. Com o resultado, a seleção brasileira caiu para o sexto lugar nas Eliminatórias, mas nem o fato de ter saído da zona de classificação para o Mundial parece ter tirado o humor do treinador, que preferiu destacar a vontade que sua equipe demonstrou para conseguir buscar um resultado negativo.

"Sabíamos que seria complicado, mas a equipe entendeu como se joga uma Eliminatória. Quando falei que temos de ser um pouco mais viris sem a bola, alguns não entenderam ou não querem entender. Tem que lutar como fazem os adversários", disse o treinador, que completou. 

"A equipe soube reagir e não se acomodou com o resultado. A equipe entende quando as coisas não vêm e faz esforço para mudar. Não temos tempo para treinar, então testamos durante os jogos e os jogadores têm correspondido e mostraram, principalmente no segundo tempo, que têm vontade de estar aqui e se classificar para a Copa do Mundo", analisou.

Dunga ainda ironizou o fato de ser contestado e até já surgiram especulações de que pode deixar o cargo. "É responsabilidade do treinador a forma do time jogar e não é novidade que o treinador da Seleção é contestado. Vocês contestaram o Zagallo, quatro vezes campeão do mundo, o Felipão, o Parreira, todos campeões também. Eu não ganhei, é normal ser contestado".

Na segunda etapa, Dunga tirou Luiz Gustavo e Fernandinho e mandou a equipe para o ataque. Segundo ele, algo já previsto e que tudo foi uma questão de disposição tática. "Não havíamos atuado sem volantes num jogo, mas o Douglas Costa e o Lucas Lima já fizeram essa função em seus clubes. Todos já jogaram em algum momento. Por isso não falamos em improviso, é criatividade. Fica mais fácil a adaptação".

A seleção brasileira volta a campo pelas Eliminatórias para enfrentar o Equador, no início de setembro, em data ainda não definida. E dias depois, encara a Colômbia, em casa, também em local indefinido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.