Ederson celebra 'dia especial' após volta no Flamengo, mas admite: 'Faltou ritmo'

Meia voltou ao Flamengo após dez meses afastado por conta de uma lesão no joelho

Estadão Conteúdo

11 Maio 2017 | 19h50

O meia Ederson foi o grande personagem do empate do Flamengo com o Atlético-GO na última quarta-feira, por 0 a 0, pela Copa do Brasil. Depois de 10 meses afastado por uma grave lesão, o jogador voltou aos gramados ao entrar no segundo tempo, quando todo o Maracanã gritava seu nome.

"Foi um momento muito especial para mim. Fiquei muito emocionado por ouvi-los cantando meu nome e pedindo para eu entrar, fico muito grato. Essa torcida é maravilhosa, nos apoia do início ao fim. Ontem foi um dia muito especial e espero poder viver bons momentos daqui para frente", declarou nesta quinta-feira.

A última partida disputada por Ederson havia sido diante do Corinthians ainda pelo Brasileirão do ano passado, no dia 3 de julho, quando levou entrada dura de Fagner e sofreu uma grave lesão no ligamento do joelho. Nesta quinta, o meia falou sobre as dificuldades que passou ao longo desses 10 meses.

"Sei o quanto esses dez meses foram difíceis para mim e que não é fácil voltar depois de um longo tempo. Porém, estou motivado e muito feliz, pois muitas pessoas me apoiaram, tanto aqui no grupo quanto nessa imensa torcida que temos. Agradeço muito a todos e sempre quero dar o meu melhor. Claro que isso precisa ser feito com muita inteligência e com calma para que tudo dê certo. Espero estar à disposição e ajudar da melhor maneira possível", comentou.

Depois de ser reserva em uma partida na qual o Flamengo atuou com uma equipe alternativa, Ederson agora projeta conquistar espaço no elenco. Para isso, no entanto, ele próprio admite que ainda precisa evoluir.

"Quando o jogador fica muito tempo afastado, pesa a falta de ritmo, tempo de bola, noção de espaço e entrosamento com a equipe. Isso vem com o tempo e com os jogos. Vou trabalhar muito para isso e preciso seguir empenhado. Tenho ficado satisfeito com os treinos e com o apoio dos meus companheiros. Espero render o meu melhor para ajudar o time a conseguir as vitórias."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.