Cesar Greco/Ag; Palmeiras
Cesar Greco/Ag; Palmeiras

Elenco do Palmeiras se mobiliza para apoiar reação de Borja

Companheiros comemoram gol junto com colombiano, enquanto treinador dedica orientação exclusiva ao atacante

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

15 Maio 2017 | 11h00

Quando Borja deixou os dois gols na vitória do Palmeiras por 4 a 0 sobre o Vasco, neste domingo, pelo Campeonato Brasileiro, o elenco se levantou e foi até o colombiano para comemorar. As cinco partidas sem marcar do colombiano eram uma preocupação do time e do treinador Cuca. Por isso, houve uma comoção durante a semana para dar autoconfiança ao jogador.

Mesmo durante a partida, realizada no Allianz Parque, houve atitudes de auxílio a Borja. O lateral Jean disse que por já ter marcado o primeiro gol do time de pênalti, abriu mão da segunda cobrança para dar chance de o colombiano converter. "Somos um grup. O Barcelona também não tem batedor fixo, então não será aqui no Palmeiras que vamos fazer isso. Temos vários cobradores de qualidade. O Borja estava precisando do gol para ter mais confiança e fazer boas partidas", explicou.

Antes da primeira rodada do Brasileiro, o técnico Cuca também se empenhou em falar com o colombiano. "Eu ia deixá-lo em campo o jogo inteiro, independentemente de como fosse, até para ele ter tranquilidade. O Borja precisa de ensinamentos em termos de posicionamento, porque o Campeonato Brasileiro é diferente do Colombiano", disse o treinador. "Temos que conversar para ele evoluir. Com vitória e os gols, tudo fica fácil. Ele está de parabéns pelo jogo", afirmou.

Borja foi contratado no começo do ano por R$ 33 milhões e chegou a estar insatisfeito no elenco. O técnico anterior, Eduardo Baptista, chegou a deixá-lo na reserva na última partida da equipe pela Copa Libertadores, contra o Jorge Wilstermann, após o colombiano ter demonstrado irritação com uma substituição na semifinal do Campeonato Paulista.

"No futebol, para se perder a confiança é muito rápido. A torcida entra no seu ouvido e você não quer mais a bola. Fica difícil para o treinador. Ano passado senti no Palmeiras um elenco com alguns sem confiança. Mas já recuperamos isso, o qu é muito bom", disse Cuca, que teve apenas cinco dias de trabalho junto com o colombiano.

Para o zagueiro Edu Dracena, a goleada na estreia deve resolver qualquer problema de falta de confiança. "Começamos com o pé direito. Isso faz com que a gente fique confiante para o campeonato. Como somos os atuais campeões, temos que mostrar por onde conquistamos o título no ano passado", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.