1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Palmeiras decepciona e se complica na Libertadores

- Atualizado: 18 Março 2016 | 07h 40

Alviverde perde para o Nacional-URU por 1 a 0 na estreia de Cuca

Desde a conquista da Copa do Brasil, em dezembro, o assunto no Palmeiras era um só – a cobiçada Copa Libertadores. O elenco, que já era numeroso, recebeu novas e duvidosas contratações e a confiança da diretoria alviverde era total. Só que após quatro jogos na fase de grupos com atuações decepcionantes, o desespero bate à porta. Nesta quarta-feira, na estreia do técnico Cuca, o time perdeu para o Nacional por 1 a 0 em Montevidéu. 

Agora, só duas vitórias, contra Rosário Central na Argentina e contra o River Plate do Uruguai no Allianz Parque, poderão salvar o time do presidente Paulo Nobre de uma vexatória eliminação ainda na fase de grupos – o time ainda terá de tirar a desvantagem no saldo de gols.

Sob o comando de Cuca, que chegou ao clube segunda-feira, comandou dois treinos com todo o elenco já foi para uma decisão, o time começou o jogo com algumas novidades. Gabriel voltou ao time após sete meses, Arouca e Allione também foram titulares, mas a falta de criatividade e a desorganização dos jogadores foi a mesma dos tempos de Marcelo Oliveira. 

Antes da bola rolar, foi feito um minuto de silêncio em homenagem ao ex-atacante Gaúcho, que defendeu o Palmeiras no fim da década de 80 e teve a carreira marcada por defender um pênalti contra o Flamengo, e pela irreverência na comemoração dos gols.

Técnico Cuca estreia com derrota pelo time do Palmeiras

Técnico Cuca estreia com derrota pelo time do Palmeiras

O Nacional entrou em campo da mesma forma que fez no Allianz Parque, quando venceu por 2 a 1, na semana passada. Partiu para cima e jogou em cima dos erros individuais e dispostos a arrumar confusão em todo o lance. Os palmeirenses, mostrando ingenuidade muitas vezes, caiu na pilha do adversário e se deixou levar durante toda a primeira etapa. 

De diferente no time de Cuca, a linha de impedimento, que falhou algumas vezes, até pela falta de entrosamento. Prova do sufoco alviverde na primeira etapa foi o goleiro do Nacional - ele só pegou na bola depois dos 35 do primeiro tempo. 

No banco de reservas, Cuca gritava, gesticulava e tentava entender o motivo de não ver em campo o que foi treinado. No fim do primeiro, os jogadores perceberam que também precisavam mudar a postura. Eles se reuniram no gramado, conversaram e tentaram se entender.

Palmeiras em 2016
Levi Bianco/Brazil Photo Press
Palmeiras em 2016

Na 2ª rodada do Brasileirão, o Palmeiras visitou a Ponte Preta e acabou derrotado por 2 a 1

ATAQUE

No intervalo, Cuca mandou o time para o ataque. Colocou Gabriel Jesus e Robinho e fez a equipe jogar no 4-3-3. Ao invés de aumentar o poderio do ataque, abriu ainda mais o time, tanto que o Nacional se aproveitou e abriu o placar após falhas de posicionamento de Edu Dracena e Zé Roberto, que deixaram Nico López livre para desviar de cabeça.

No banco de reservas, Cuca olhou para o banco com o semblante de quem não sabia o que fazer e se limitou a coçar a nuca. A situação estava bastante complicada e restou uma única cartada. Colocou Barrios no lugar do volante Gabriel e escancarou o time no 4-2-4. 

O desespero não deu em nada. Aos 45, Alecsandro teve a chance e o goleiro pegou. O Nacional se fechou, deixou o Palmeiras se atrapalhar sozinho e ver o sonho da Libertadores ficar quase impossível.

FICHA TÉCNICA

NACIONAL-URU 1 X 0 PALMEIRAS

GOL: Nico López, aos 5 minutos do segundo tempo. 

NACIONAL (4-4-2): Conde; Romero, Victorino, Polenta e Espino; Gonzalo  Porras, Carballo, Kevin Ramírez (Tabó) e Leandro Barcia (Cabrera); Nico López e Seba Fernandez (Eguren). 

Técnico: Gustavo Múnua.

PALMEIRAS (4-4-2): Fernando Prass; Lucas, Edu Dracena, Vitor Hugo e Egídio (Robinho); Gabriel (Barrios), Arouca, Zé Roberto e Allione (Gabriel Jesus); Dudu e Alecsandro. 

Técnico: Cuca. 

Juiz: Carlos Vera (Equador).

Cartões amarelos: Porras, Lucas,  Alecsandro, Nico López e Arouca 

Público: Não divulgado.

Renda: Não divulgada. 

Local: Estádio Parque Central, em Montevidéu.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EsportesX