Repriodução/Twitter Williams
Repriodução/Twitter Williams

Em exibição surpresa, Williams é 1ª equipe a revelar novo carro para F-1 de 2017

Modelo FW40 ajuda a entender qual será o design da categoria em 2017: baixos e largos

Estadao Conteudo

17 Fevereiro 2017 | 11h06

De maneira surpresa, a Williams revelou nesta sexta-feira o seu novo carro para a temporada deste ano da Fórmula 1. Única equipe que ainda não havia confirmado a data para o lançamento de seu monoposto no atual grid da máxima categoria do automobilismo, a escuderia inglesa apresentou o modelo FW40 por meio de seu site oficial, no qual mostrou duas fotos e um vídeo de apenas 39 segundos de duração.

Assim, de forma surpreendente, a Williams acabou se tornando o primeiro time da F-1 a exibir o seu novo carro para o Mundial deste ano. E logo de cara o modelo serviu para evidenciar como o novo regulamento da categoria vai impactar no design dos monopostos, que serão mais baixos e largos do que os vistos até 2016.

Com o seu nome inspirado no aniversário de 40 anos da Williams, o novo carro da equipe manteve o mesmo padrão visual do seu antecessor, sendo predominantemente branco e com os filetes de faixas azuis e vermelhas que atravessam o modelo de ponta a ponta e são fruto das cores do logotipo de seu principal patrocinador, a Martini.

A Williams também confirmou nesta sexta-feira que a apresentação oficial do seu novo carro foi marcada para 25 de fevereiro, dois dias antes do início dos testes de pré-temporada da Fórmula 1, cujo Mundial de 2017 será iniciado em 26 de março, data da disputa do GP da Austrália, em Melbourne.

 

O novo regulamento técnico da F-1 para 2017 trouxe mudanças com o objetivo de, entre outras coisas, deixar os carros com maior aerodinâmica e aderência na pista. Para isso, as asas e pneus traseiros serão mais largos, estes últimos remetendo a um dos períodos do passado de glória da categoria. Fornecedora única de compostos da F-1, a Pirelli calcula que os novos pneus irão colaborar para que os tempos de volta sejam de três a cinco segundos mais rápidos do que os anteriores em todos os circuitos do calendário.

Ao mesmo tempo, a expectativa também é a de que os carros se tornem mais difíceis de guiar nesta temporada na qual a Williams voltará a contar com Felipe Massa depois de o brasileiro ter adiado a sua aposentadoria na Fórmula 1, anunciada no ano passado. O piloto acabou aceitando postergar o fim de sua trajetória na elite da velocidade após o finlandês Valtteri Bottas ser contratado pela Mercedes para substituir o campeão Nico Rosberg, que surpreendeu ao confirmar sua aposentadoria pouco depois de conquistar o título em 2016.

Massa fará dupla titular de pilotos com o jovem estreante canadense Lance Stroll, de apenas 18 anos de idade. Com a mescla entre a juventude de Stroll e a experiência brasileiro, que completará 36 anos em abril, a Williams espera reagir no cenário das principais forças da Fórmula 1 após ter terminado o último Mundial de Construtores em quinto lugar, depois de conquistar o terceiro posto desta disputa em 2015.

Mais conteúdo sobre:
Fórmula 1 Williams Velocidade

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.