Empate desagrada a Ricardo Oliveira

Nem mesmo os dois gols que marcou neste domingo com chutes de fora da área no empate entre Portuguesa e Palmeiras foram suficientes para a felicidade completa de Ricardo Oliveira. O atacante da equipe do Canindé reclamou veementemente da falta de atenção que proporcionou a igualdade ao adversário. "Faltou segurar mais a bola, fazer o Palmeiras correr". Mesmo assim, o alívio era visível no seu rosto. Depois de uma semana tumultuada, com direito a reclamações por falta de pagamento e ameaças de dispensa por parte dos dirigentes, Ricardo comemorava o ponto conquistado diante do líder do Rio-São Paulo. "Foi um bom resultado. Principalmente porque a torcida vai continuar cobrando." O jogador revelou que uma conversa reservada com o treinador Valdir Espinosa, antes da partida, alterou sua maneira de atuar. "Pedi mais liberdade para jogar. Você viu que foi só eu sair da área para os gols acontecerem", concluiu, olhando para um corte entre a canela e o tornozelo que o travou em alguns momentos do clássico. Espinosa resumiu o seu pensamento sobre Ricardo em poucas frases. "Ele estava devendo para si próprio. Precisava se movimentar mais. Neste domingo, não ficou preso no meio dos zagueiros adversários, usou sua característica". Sobre o resultado, Espinosa também não fez maiores considerações. "Foi justo", limitou-se a opinar.

Agencia Estado,

17 Março 2002 | 19h37

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.