Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Empresa francesa desiste de comprar a concessão do estádio do Maracanã

Lagardère estava próxima de acordo com a Odebrecht

Marcio Dolzan, Estadão Conteúdo

11 Maio 2017 | 20h06

A empresa francesa Lagardère desistiu de comprar a concessão do estádio do Maracanã, no Rio. Os franceses estavam próximos de acordo com a Odebrecht, controladora do Consórcio Maracanã S.A., mas optou por não levar adiante o negócio devido à indefinição do governo do Estado do Rio de Janeiro. O executivo estadual ainda não decidiu oficialmente se aceita o simples repasse da outorga ou se lançará um novo edital de concessão.

Com a desistência, não há mais nenhuma empresa interessada em adquirir a concessão. Em março, a GL Events e a inglesa Chime Sports Marketing (CSM), parceiras de Flamengo e Fluminense, já haviam desistido do negócio. Na ocasião, as empresas alegaram que a Odebrecht não havia apresentado "garantias adequadas de segurança jurídica e contratual."

Com as desistências, a realização de um novo edital para a concessão do estádio ganha ainda mais força. Essa inclusive já era a opção mais aceita pelo Governo do Estado, apesar de informar que sempre avaliou "todas as alternativas existentes quanto ao uso e gestão do equipamento".

Mais conteúdo sobre:
futebol Maracanã

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.