Gabriel Lopes / Comercial FC
Gabriel Lopes / Comercial FC

Estádio do Comercial, de Ribeirão Preto, vai a leilão para bancar dívidas

Lance mínimo é no valor de R$ 18,9 milhões

Rene Moreira, especial para a AE, O Estado de S.Paulo

12 Maio 2017 | 16h06

Avaliado em mais de R$ 31 milhões, o Estádio Palma Travassos, do Comercial Futebol Clube, de Ribeirão Preto (SP), foi colocado à venda pela Justiça Federal. O leilão já está aberto e receberá ofertas pela internet até o dia 22 de maio, sendo o lance mínimo no valor de R$ 18,9 milhões.

O motivo para a venda são as dívidas do clube, que incluem entre outros a falta de pagamento de impostos e até de depósitos do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço). Alguns débitos vêm se arrastando desde a década de 60.

A Caixa Econômica Federal foi quem executou o patrimônio, localizado na avenida Plínio de Castro. O leiloeiro anuncia que o imóvel penhorado situa-se em "ponto estratégico" e "está circundado por avenidas de tráfego intenso, o que o valoriza sensivelmente".

Para tentar achar interessados, são apontados ainda outros itens favoráveis do estádio. Há pouco mais de um mês, por exemplo, 70% do gramado teriam sido substituídos. E, além do campo, o local conta com arquibancadas parcialmente cobertas com estrutura metálica e capacidade para 19.500 pessoas, alojamento para 21 atletas, vestiários, bares e nove sanitários.

A estrutura do estádio contempla também posto policial, lavanderia, cozinha, refeitório, espaço para academia, salas administrativas e boxes comerciais. Somente de área são mais de 35 mil metros quadrados.

O Palma Travassos foi o primeiro grande estádio construído na região de Ribeirão Preto, em 1959. O clube aposta que não haverá lances no leilão e que terá nova chance de negociar a dívida de R$ 3 milhões com a Caixa Econômico Federal.

Para o presidente do Conselho Deliberativo, o advogado David Isaac, a chance de ocorrer o arremate é "ínfima", até por se tratar de um patrimônio histórico, o que dificulta ao comprador mexer na estrutura.

CRISE

O Comercial é mais um a engrossar a lista de clubes em dificuldades financeiras no interior paulista. A outra equipe de futebol de Ribeirão Preto, o Botafogo, que já perdeu seu ginásio esportivo há cerca de três anos devido a dívidas trabalhistas, também corre o risco de ter o Estádio Santa Cruz levado a leilão pelo mesmo motivo. Isso em razão de débitos bancários que passam de R$ 100 milhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.